POR UM PORTUGAL DIFERENTE

POR UM PORTUGAL DIFERENTE
ABRIL VIRÁ...!!!

EXPERIMENTE... VÁ ATÉ LÁ!

MUDAR...

Estrela - DestaquesNinguém pode ser escravo de sua identidade; quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar. (Elliot Gould)

Frases e Mensagens -

NÃO HÁ ACORDO...!!!...

NÃO HÁ ACORDO...!!!...
... Português há só UM...!!!

TRADUÇÃO/TRANSLATE/TRADUCION

SEM IMITAÇÕES...

ACREDITE...

"Nunca faça graça de graça. Você é humorista, não político."

A Hora em Poá (BRASIL)

"Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo."

VELHO PROVÉRBIO PORTUGUÊS

"Dois olhos vêem mais do que um só."
Veja Frases para Orkut - Kifrases.com

LOVE, love, LoVe

OvEr ThE RaInBoW

1lindoMENINO ...

Verdade, Verdadinha...!!!

zwani.com myspace graphic comments

1lindomenino

Menininhas e inhos venham a mim...

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "isto"... e MUITO MAIS...!!!

António GEDEÃO


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.GEDEÃO

SEJA ASSIM... COMO EU!

recadosparablogseorkut.com


Mais Um(a)...!!! OBRIGADO...!!!

sábado, 18 de abril de 2009

SETÚBAL - Pousada no Castelo de S.Felipe


Se você vai a Portugal, não perca esta maravilha a cerca de 40 minutos da Capital (Lisboa). Situada no Castelo de São Felipe, em Setúbal, esta Pousada tem TUDO para vos deixar... de "boca aberta"...!!!
E o RIO AZUL ali "tão perto"... !!!

TRANSFORMO UM CRAVO DE ABRIL

Transformo um cravo vermelho
no galope das palavras
um beijo uma flor
na metáfora do amor.

Trago a coragem desse dia
à luz das mãos
o ritmo das canções
a soltar o coração.

Trago um cravo de Abril
no alforge da poesia
um sorriso uma cor
na esperança de uma flor.

Transformo um cravo vermelho
no galope das palavras
e falo de ti “ao vento que passa”
falo de ti liberdade em toda a parte.


Fernando Paulino, Setúbal

Agradecimentos ao Site:
http://www.portugal-linha.pt/

A Poesia de Nuno Júdice : Cantiga

É pelo teu rosto em que as marés passam,
pelos teus lábios em que voam gaivotas,
pelos teus dedos em que a luz perpassa,
pelos teus olhos que me traçam as rotas,

que este barco encontra o caminho,
que este dia descobre que não é tarde,
que as palavras se bebem como vinho,
e o fogo não queima quando arde.

É no que me dizes quando a noite fala,
no que perdura da manhã que se esquece,
no que é dito em tudo o que se cala,
e não precisa de ser dito quando amanhece.

Pode ser o amor tantas vezes sentido,
ou só aquilo que vive no coração,
pode ser o que pensava ter esquecido,
e regressa agora pela tua mão.

Quantas vezes já foi primavera,
e logo aí as flores morreram:
até ao dia em que nada ficou como era,
e todas as folhas mortas reverdeceram.

Agradecimentos ao Site: http://www.luso-poemas.net/


Meu Menino Portugal - Simone de Oliveira



Simone canta PORTUGAL




De Coração e Raça - A 1 Semana das Comemorações do 25 de Abril em Portugal


"Sou português de coração e raça
Não há talvez maior fortuna e graça"

Sou português de coração e raça
meio século comido pela traça
fechados numa caixa
e agora ou vai ou racha
e agora ou vai ou racha

Agora vamos é ser
donos do nosso trabalhar
em vez de andar para alugar
com escritos na camisa
e o dinheiro que desliza
do salário para a despesa
compro cama vendo mesa
deito contas à pobreza

Sou português de coração e raça
meio século comido pela traça
fechados numa caixa
e agora ou vai ou racha
e agora ou vai ou racha

Agora vamos é ser
donos do nosso produzir
em vez de ter que partir
com escritos numa mala
e a idade que resvala
do nascimento para a morte
vou para o leste perco o norte
e o meu corpo é passaporte

Sou português de coração e raça
meio século comido pela traça
fechados numa caixa
e agora ou vai ou racha
e agora ou vai ou racha



Sérgio Godinho
Canções de Sérgio Godinho
Assírio e Alvim

Agradecimentos ao Site: http://www.portugal-linha.pt/

domingo, 12 de abril de 2009

PORTUGAL, 35 anos depois. TERIA VALIDO A PENA... ?!...

Completa-se neste ano de 2009, 35 anos sobre a madrugada libertadora do 25 de Abril de 1974. O País saía assim duma “longa hibernação” de quase 50 anos de um regime fascista, opressivo, brutal e colonialista.

As “novas gerações” e “alguns “saudosos do passado” continuam a “não querer entender” o porquê deste dia e da sua importância e repercussões no País e no Mundo.

E EU pergunto: teria valido a pena “alguém” não ter dormido naquela noite para depor um governo e devolver a esperança de VIDA aos Portugueses... ?!
Teria valido mesmo a pena...?!...

Tenho 57 anos de idade e, na altura do 25 de Abril de 1974, estava com 22 e encontrava-me em Angola, onde estava a cumprir o serviço militar obrigatório.
Era já um Português consciente do Portugal “amordaçado” que éramos, dum Governo que protegia apenas as grandes fortunas, que nos enviava como “carne pra canhão” para as Colônias Portuguesas, que “evitava” a modernização do País como forma de “se proteger de idéias estranhas vindas de fora”, que celebrava com “pompa e circunstância” o Dia de Camões – Dia de Portugal – para “condecorar” pais, irmãos, e demais familiares pela “honra” dos “seus melhores filhos” terem “morrido em combate ao Serviço da Pátria”, das eleições “forjadas” em que só votavam os “senhores e os capangas” do Regime Único, dos milhares de Portugueses a viver em “exílio” no exterior, dos jornais, revistas, livros, peças de teatro, canções, etc., “vitimizados” por uma censura “estúpida e feroz” que nos “habituava” apenas a ler nas entrelinhas a mensagem que nos queriam transmitir, das centenas de Portugueses que “apodreciam” em prisões políticas quer em Portugal quer nas Colônias e... e... e... muitas, muitas “coisas” mais... !!!

Era este o PORTUGAL das “mil e uma noites” de que o “velho Regime" tanto se orgulhava: um Portugal “ordeiro”, “trabalhador” e “patriota por um País Uno e Indivisível”. ERA este: eu AFIRMO... !

O 25 de Abril de 1974 veio colocar um ponto final “neste” Portugal. Mas, será que os dirigentes saídos desta “Revolução” conseguiram “resolver” muitos dos problemas do “novo” País... ?!...

Sabemos que Portugal voltou a ser um País confinado ao seu espaço Europeu, se “incorporou” com pleno direito na União Européia, sabemos que hoje é um Portugal democrático e verdadeiramente plural, sabemos que os Portugueses são cidadãos livres e sem “mordaças”, que temos novas vias de comunicação, que temos mais fogões, milhões de telemóveis mas... e o “resto”... ?!

Depois de muitos anos, os Portugueses “voltaram a emigrar” a ter que procurar o “pão de cada dia” em terras distantes. Portugueses que são reconhecidos pela sua qualidade de trabalho e a quem não pedem o seu B.I, para saber a sua idade ao contrário do que acontece no “seu” Portugal. Os Portugueses voltaram a enviar tropas para missões “arriscadas” fora das suas fronteiras. Os Portugueses, hoje como ontem, não se revêm em políticos e respectivos correligionários de poucos ou nenhuns escrúpulos que os “sugam” até “ao tutano”.

Cada vez MAIS há Portugueses com FOME no seu próprio País.

Meus Senhores: no Programa do Movimento das Forças Armadas -que devolveu ao País a sua “própria dignidade”- constavam algumas “linhas de ação” que continuam por cumprir na sua “totalidade”...!!!

O “nosso” Portugal espera que não continuemos “inertes” perante Políticos e Políticas que “não atam nem desatam”: na Saúde, na Justiça, no Desenvolvimento Econômico, na Distribuição de Riqueza, na Pesca,... será necessário enumerar mais...???!!!

Fomos um País de descobridores e demos Mundos ao Mundo. Fomos o País descolonizador mais importante nos finais do século passado. Fomos “intransigentes” para com um TIMOR “prostituído” pelos Indonésios. Fomos um País que deu ao Mundo “o grito da revolta contra “as velhas ditaduras”, algumas delas Européias. Somos um País com uma História sem igual. Somos 10 ou 11 Milhões de Portugueses e Portuguesas “forjados” pela “vida dura e sem fartura” mas somos... NÓS... !!!

NUNCA nos “menosprezem”... !!!

ABRIL foi ONTEM, será HOJE e AMANHÂ... !!!


António Rui
Estudante Universitário em Gestão de Recursos Humanos
Escrito no Brasil em 12ABR09 por AMOR ao Portugal de ABRIL
“25 de ABRIL SEMPRE”