POR UM PORTUGAL DIFERENTE

POR UM PORTUGAL DIFERENTE
ABRIL VIRÁ...!!!

EXPERIMENTE... VÁ ATÉ LÁ!

MUDAR...

Estrela - DestaquesNinguém pode ser escravo de sua identidade; quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar. (Elliot Gould)

Frases e Mensagens -

NÃO HÁ ACORDO...!!!...

NÃO HÁ ACORDO...!!!...
... Português há só UM...!!!

TRADUÇÃO/TRANSLATE/TRADUCION

SEM IMITAÇÕES...

ACREDITE...

"Nunca faça graça de graça. Você é humorista, não político."

A Hora em Poá (BRASIL)

"Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo."

VELHO PROVÉRBIO PORTUGUÊS

"Dois olhos vêem mais do que um só."
Veja Frases para Orkut - Kifrases.com

LOVE, love, LoVe

OvEr ThE RaInBoW

1lindoMENINO ...

Verdade, Verdadinha...!!!

zwani.com myspace graphic comments

1lindomenino

Menininhas e inhos venham a mim...

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "isto"... e MUITO MAIS...!!!

António GEDEÃO


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.GEDEÃO

SEJA ASSIM... COMO EU!

recadosparablogseorkut.com


Mais Um(a)...!!! OBRIGADO...!!!

sábado, 16 de maio de 2009

FRASES que VOCÊ vai ADORAR...



"Sorria na juventude porque na velhice não terás dentes."



... mas continuarás a ser "atrevido"... rsrs




De PORTUGAL para o Mundo: "Ala dos Namorados" - Perdidamente



Nota de 1lindomenino: tenho insistido MUITO nesta "tecla" mas, me desculpem, vou voltar a fazê-lo: no BRASIL continuam a "desconhecer" por completo a música que se tem feito em Portugal. Assim e porque os Portugueses continuam a "não ser convidados" para cantar "nestes lados", é através de Vídeos que tenho tentado passar a mensagem. Não será "uma carta a Garcia" mas será, certamente, uma mensagem para quem "a possa escutar"...!!! E também para os Brasileiros que ainda "só" pensam em "termos" de Amália, Roberto Leal, e no dos "olhos castanhos" (Francisco José, certamente...) e... pouco mais...!!! O que, convenhamos, é MUITO POUCO...!!!


Bem que, desta vez, a História se podia inverter e vocês bem podiam fazer de Portugal um excelente "achamento"... musical, claro... !!!


Façam o favor de serem FELIZES...!!!

Projetos inacabados



Faz parte da natureza humana sonhar e idealizar as mais variadas realizações.

Um hábito muito comum é a lista que se faz no início de cada ano, as famosas "proposições de ano novo".

Costuma-se relacionar hábitos nocivos a serem abandonados, cursos a serem iniciados e virtudes a serem adquiridas...

Propostas razoáveis e, na maioria das vezes, necessárias ao desenvolvimento daquele ser que as relacionou.

No entanto, comumente, antes mesmo da primeira semana do ano acabar, a lista é abandonada em alguma gaveta, juntamente com a disposição sincera de mudança que a havia inspirado.

E lá se vão para o esquecimento, mais uma vez, as mudanças prometidas para si mesmo.

Quem se espera enganar?

Afinal, a proposição de reforma íntima atinge primeiramente ao próprio interessado.

Propostas como essas abandonadas lembram projetos que se iniciam e não se realizam.

São barcos que jamais alcançam o mar.

Textos sem ponto final.

Obras que não saem da prancheta de desenho.

Músicas jamais executadas.

Flores que não desabrocharam.

Filhos que não nasceram.

Amores inconfessados.

Desenhos que nunca tocaram um papel.

Promessas não cumpridas.

Sonhos abandonados.

Os dias passam rápidos.

As folhas brotam, crescem e mais adiante caem das árvores, enquanto as pessoas passam seus dias adiando partidas, retardando começos e cancelando mudanças.

E o que poderia acontecer de modo voluntário, acaba se tornando obrigatório.

A vida, um dia, há de nos cobrar pelas realizações que nos caberiam e que não levamos a termo.

Que realizações serão essas?

Grandes feitos?

Conquistas retumbantes?

Não.

Por certo, as mais significativas missões que nos foram confiadas têm o objetivo de domar nossas próprias imperfeições.

"Ah! Mas é tão difícil vencer hábitos antigos!" - poderíamos argumentar.

No entanto, mais difícil ainda será conviver para sempre com costumes infelizes que amargam a nossa existência e a daqueles que nos cercam.

Projetos inacabados, por certo, temos vários.

Qual deles retomar e concluir de uma vez por todas?

Cada um de nós deverá saber qual é o mais urgente e mais viável, por ora.

Trata-se de uma decisão intransferível e inadiável.

É chegada a hora de realizar e de transformar.

É hora de abandonar as desculpas que nos serviram de muletas por tantos séculos, retardando-nos, no mesmo compasso de atraso e de teimosia vã.

...........................

Que o dia de hoje seja uma marca significativa na linha do tempo de nossas existências.

Pouco importa que dia da semana seja.

Não interessa em que mês do ano estejamos.

Não há porque esperar por outra oportunidade.

Chances são como brisas que surgem rapidamente e se vão de igual forma.

Não há motivo real e justo para permanecer estacionados enquanto a vida nos chama a realizar o bem.

Coragem e disposição hão de ser a inspiração que nos faltava.

Não amanhã, mas sim, hoje.

Não depois, mas sim, a partir de agora.



Recebido por e-mail do Site: www.portaldiabetes.com.br/

REFLETINDO uma...Reflexão...!!!...


25 de Abril em Portugal: um "sonho" ou uma "utopia" de uma geração...?!



"O perigo está em chegar a persuadir-se de que


as suas convicções eram sonhos,


em perder o amor às utopias."


(Júlio Diniz)




Don Quijote de la Mancha: uma "utopia" ou um "sonho" de e para TODOS NÓS... ?!


Uma PIADA pela manhã... "A gravata"


Um argentino está andando no deserto, desesperado por um pouco de água.

De repente, ele vê algo ao longe que parece um oásis. Na esperança de encontrar água, se arrasta até lá, mas só encontra um camelô brasileiro sentado perto de uma mesa cheia de gravatas. O argentino implora:

- Por favor, estoy muerto de sede, puede me dar um pouco de água?

O brasileiro responde:

- Eu não tenho água, mas por que você não compra uma gravata? Tenho uma aqui que combina muito bem com sua roupa!

O argentino exclama, furioso:

- Yo não quiero una gravata, su idiota! Yo quiero água!

- Tá certo, não compre a minha gravata - diz o brasileiro - Mas sou um sujeito gente boa. Vou te dizer onde tem água assim mesmo: depois daquela colina ali, a cerca de 10 quilômetros, existe um ótimo restaurante. Vá até lá e você poderá tomar quanta água quiser.

O argentino sai em direção à colina e desaparece. Cinco horas depois, ele volta se arrastando até a mesa do brasileiro, que pergunta:

- Eu disse 10 quilômetros depois da colina. Você não encontrou?

E o argentino:

- Encontrei. Pero no es permitido entrar sin gravata!

Agradecimento ao Site: http://www.ocisco.net/

Nota de 1lindomenino: NADA MELHOR do que contar uma PIADA de Argentino para Brasileiros logo pela manhã. Melhor até do que uma de Português...!!! Bem, e eu como Português certamente que não iria dar "um tiro no PRÓPRIO PÉ"... rsrs

Entendem "a coisa", né... ?!

Walking Around de PABLO NERUDA



Acontece que me canso de meus pés e de minhas unhas,
do meu cabelo e até da minha sombra.
Acontece que me canso de ser homem.

Todavia, seria delicioso
assustar um notário com um lírio cortado
ou matar uma freira com um soco na orelha.
Seria belo
ir pelas ruas com uma faca verde
e aos gritos até morrer de frio.


Passeio calmamente, com olhos, com sapatos,
com fúria e esquecimento,
passo, atravesso escritórios e lojas ortopédicas,
e pátios onde há roupa pendurada num arame:
cuecas, toalhas e camisas que choram
lentas lágrimas sórdidas.
Agradecimento ao Site: http://www.astormentas.com/

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Sexo não é o fim é o meio


Quem nunca suspirou com a troca de olhares entre Maya (a personagem de Juliana Paes) e Raj (Rodrigo Lombardi) ou Bahuan (Márcio Garcia)? O sucesso do triângulo não é por acaso. Além de a morena ter um olhar de deixar qualquer um sem fôlego — o que é pré-requisito para o sexo tântrico — o ambiente em que o triângulo da novela “Caminho das Índias” se passa é ideal para a prática.

Segundo o mestre em Yoga Paulo Murilo, de 66 anos, a troca de olhares entre o casal, a intimidade e o conhecimento são essenciais para chegar à “plenitude do ser”.

— O importante não é a duração, mas a qualidade do sexo. A relação dura porque o prazer é prolongado. O casal tem de se olhar, se tocar, se amar, até ter certeza da cumplicidade. Aí é que se chega ao orgasmo. O sexo tântrico não é apenas um ato, mas uma forma de o casal atingir a plenitude — explica ele, que ensina o Dakshina, uma das correntes do Tantrismo, na Academia Kailasa, em Copacabana. — O Dakshina também leva à plenitude, mas o sexo não é o único caminho.

Essa corrente é diferente do Vama Tantra, que valoriza o sexo como forma de se chegar à plenitude.
Na prática, o casal segue dez passos até chegar ao hiperorgasmo.

— São exercícios de meditação, contemplação e visualização. O corpo é explorado por inteiro, não somente os membros sexuais
— afirma o mestre.
Nota de 1lindomenino: sinceramente não sei se esta novela Brasileira já está a "passar" em Portugal, mas acredito que sim. É a ela que o texto faz alusão.

Pensamentos e Reflexões - A TV Como Instrumento Redutor



Porque é que a TV foi essa «caixinha que revolucionou o mundo»? Faço a pergunta e as respostas vêm em turbilhão. Fez de tudo um espectáculo, fez do longe o mais perto, promoveu o analfabetismo e o atraso mental. De um modo geral, desnaturou o homem. E sobretudo miniturizou-o, fazendo de tudo um pormenor, isturado ao quotidiano doméstico. Porque mesmo um filme ou peça de teatro ou até um espectáculo desportivo perdem a grandeza e metafísica de um largo espaço de uma comunidade humana.

Já um acto religioso é muito diferente ao ar livre ou no interior de uma catedral. Mas a TV é algo de minúsculo e trivial como o sofá donde a presenciamos. Diremos assim e em resumo que a TV é um instrumento redutor. Porque tudo o que passa por lá chega até nós diminuído e desvalorizado no que lhe é essencial. E a maior razão disso não está nas reduzidas dimensões do ecrã, mas no facto de a «caixa revolucionadora» ser um objecto entre os objectos de uma sala.

Mas por sobre todos os males que nos infligiu, ergue-se o da promoção do analfabetismo. Ser é um acto difícil e olhar o boneco não dá trabalho nenhum. Ler exige a colaboração da memória, do entendimento e da imaginação.

A TV dispensa tudo. Uma simples frase como «o homem subiu a escada» exige a decifração de cada palavra, a relação das anteriores até se ler a última e a figuração do seu sentido e imagem correspondente. Mas na TV dá-se tudo de uma vez sem nós termos de trabalhar. Mas cada nossa faculdade, posta em desuso, chega ao desuso maior que é deixar de existir. Mas ser homem simplesmente é muito trabalhoso. E o mais cómodo é ser suíno...


Vergílio Ferreira, in "Escrever"


Agradecimentos ao Site: http://www.citador.pt/

SETÚBAL em "movimento"...!!! Setúbal NÃO DEVE NEM PODE PARAR...!!!...

Recebido por e-mail da Camara Municipal de Setubal
- Gabinete de Comunicacao
Nota de 1lindomenino: é isso aí, "minha gente"...!!! Temos de valorizar SETÚBAL desta e de outras formas. Não adianta "bancar" ao "pedinte"... !!! Há que "reabilitar" SETÚBAL com ou sem "governos" da côr... !!! É pelo TRABALHO e PELO AMOR A SETÚBAL que se pode fazer MUITA COISA...!!!
É necessário, é imperioso... ACREDITAR... !!!

Saudades...



“...A distância pode causar saudade, mas nunca o esquecimento..."

De uma forma positiva, aprendi que não importa o que aconteça, ou quão ruim pareça o dia de hoje, a vida continua, e amanhã será melhor.
Aprendi que se pode conhecer bem uma pessoa, pela forma como ela lida com três coisas:
- um dia chuvoso, uma bagagem perdida e os fios das luzes de uma árvore de natal que se embaraçaram.
Aprendi que, não importa o tipo de relacionamento que tenha com seus pais, você sentirá falta deles quando partirem.
Aprendi que "saber ganhar" a vida não é a mesma coisa que "saber viver".
Aprendi que a vida às vezes nos dá uma segunda chance.
Aprendi que viver não é só receber, é também dar.
Aprendi que se você procurar a felicidade, vai se iludir.
Mas, se focalizar a atenção na família, nos amigos, nas necessidades dos outros, no trabalho e procurar fazer o melhor, a felicidade vai encontrá-lo.
Aprendi que sempre que decido algo com o coração aberto, geralmente acerto.
Aprendi que quando sinto dores, não preciso ser uma dor para outros.
Aprendi que diariamente preciso alcançar e tocar alguém.
As pessoas gostam de um toque humano, segurar na mão, receber um abraço afetuoso, ou simplesmente um tapinha amigável nas costas.
Aprendi que ainda tenho muito que aprender.
As pessoas se esquecerão do que você disse...
Esquecerão o que você fez....
Mas nunca esquecerão como você as tratou.



Recebido por e-mail do Site: www.portaldiabetes.com.br




Frase DIVERTIDA e CURIOSA pra VOCÊ que é da Terra... ou Não é...?!


"Um cientista eminente anunciou que,
em sua opinião,
vida inteligente é possível em muitos planetas,
inclusive na Terra."
(Anônimo)


Sabe porque é que o Autor é ANÓNIMO... não sabe... ?!
Bem, ele julga que VOCÊ pode NÃO fazer parte desses... inteligentes...!!!
"Mauzinho", o cara... rsrs

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Memórias "ricas" do PASSADO... "A Whiter Shade Of Pale" - Procol Harum

Nota de 1lindomenino: há aquelas músicas que ficam, de alguma forma, extremamente "ligadas" a nós... !!! Quem não tem uma música "dessas"... ?! Esta é uma das "minhas"... !!!

Com (muita) SAUDADE... !!!

Português do Brasil e Português de Portugal

Um pinto Português... filho da galinha...!!!

No tempo em que os aviões faziam escala em Recife, Dacar e Lisboa para, depois, prosseguirem até a Europa Central, um amigo de meu pai, diante do sotaque incompreensível do lusitano que o atendeu na lojinha do aeroporto de Lisboa, acabou apelando para o idioma universal:

- Do you speak English?

E pediu seu cafezinho em bom inglês - em pleno Portugal!

Eu mesmo, quando estudante universitário, em viagem econômica, mochila às costas, pelos países da Europa, ao passar pela simpática Lisboa ("Quem não viu Lisboa, não viu coisa boa"), vim a descobrir as diferenças entre o português do Brasil e o português de Portugal: que ônibus era autocarro, a parada era paragem, o ponto final, zona, o bonde, eléctrico, o trem, comboio, que uma bebida gelada era fresca e sem gelo, ao natural, que camiseta era camisola etc.

Certa vez, minha então esposa e eu fizemos uma viagem de ônibus entre duas capitais da Europa, junto com um casal de santistas que tínhamos acabado de conhecer. Viagem noturna, ônibus desconfortável (na Europa, rico anda de avião, classe média, de trem e os mais ferrados, de ônibus). Para matar o tempo, pusemo-nos a desfiar um rosário de piadas. Claro que, a certa altura, começamos a lembrar todas aquelas velhas piadas de português que a gente ouve desde criança. Era um tal de Joaquim pra cá, Manel pra lá, Maria fazendo uma ou outra ponta. Interessante é que havia outra pessoa, mais atrás no ônibus, que também estava rindo das piadas. Vez ou outra, virávamos pra trás tentando descobrir quem era, até que enfim conseguimos flagrar nossa companheira de idioma. Perguntamos:

- Gostou da piada?

- Bestial! - Nosso sangue gelou...

- A senhora é...

- Do Porto!

No jornal Sol Português, da comunidade portuguesa do Canadá, encontro anúncio de casa com "3 quartos de cama, 2 quartos de banho, estacionamento para 2 carros, cave acabada". Na seção de classificados, "senhoras delicadas e amorosas fazem massagens em privado" e astrólogo curandeiro da Guiné-Bissau explica que "um dos problemas mais fáceis de combater é a impotência sexual, que actualmente afecta muito os casais, por vezes por questão de peso a mais, diabetes ou colesterol alto e para os quais a solução é a medicina tradicional, como a peticola, o pau de bicilom, barcolomo, assim como óleo de crocodilo e sumo de cabaceira."

E viva o idioma português - seja ele do Brasil, de Portugal, seja de onde for!




Agradeço ao Site: http://www.ocisco.net/


Um Português com um belíssimo fato de cerimónia
Nota de 1lindomenino: se se ler BEM o texto consegue-se "perceber" algumas alergias ao Português falado e escrito em Portugal... será que para ficarmos mais "imunes" às anedotas de Português, teremos de passar a falar em Portugal o Português do... Brasil... ?! Sim, porque PIADA mesmo é se traduzir na TV Brasileira os jornais e documentários de Portugal, COM LEGENDAS, tudo o que os Portugueses dizem... ou querem que nós passemos a falar em Japonês para nos perceberem melhor... e sem LEGENDAS... ?!...
Sabem o que é mais "curioso": desde 1975/6 começámos em Portugal a transmitir novelas Brasileiras nas TV's. E, mesmo com enorme fatia de Portugueses analfabetos, NUNCA sentimos a necessidade de LEGENDAR fosse o que fosse. Lá dizia o vendedor de revistas na "Asa do Avião", em Setúbal: olha as revistas - baratinho - compre, compre...!!! Quem não sabe ler vê os "bonecos"... !!!

++ uma FRASE divertida...!!! Esta com HUMOR... e SEXO...!!!

"Sexo alivia as tensões. Amor as causa."
(Woody Allen)

Woody:
quando disseste "isso" estavas a pensar em qual destas duas... ?!...
Rsrs...

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Bom "produto"... o xxx lava mais branco...rsrs

O meu agradecimento ao Site acima citado porque, sem esta comparação, eu NUNCA saberia a excelente QUALIDADE do "produto"...!!!

O Gênio e o Chefe - ANEDOTA ou PIADA, como preferirem...


O gerente de produção, o estagiário de marketing e o presidente de uma empresa estacionaram o carro e estão a caminho de um restaurante. Em um canto sujo eles encontram uma lâmpada antiga. Esfregam a lâmpada e de repente aparece um gênio, que lhes diz:

- Olá! Anh? Vocês três me acharam? Eu só posso realizar 3 desejos, por isso, cada um só pode pedir um!

O gerente de produção diz logo:

- Eu primeiro, eu primeiro! - e exprime o desejo: - Eu quero estar em Miami, no volante de um barco ultra-rápido e rodeado de mulheres!

Puff! Ele imediatamente é teletransportado pra lá.

- Agora eu, agora eu! - grita o estagiário de marketing. - Eu quero estar em uma praia de Cancun, tomando umas bebidas exóticas com umas mulheres de topless!

Puff! Também foi direto pra lá.

Em seguida diz o gênio ao presidente da empresa:

- É a sua vez!

- E o presidente diz:

- Eu quero estes dois cretinos de volta ao trabalho depois do almoço!



MORAL DA HISTÓRIA: Deixe sempre o chefe falar primeiro.



Meus Agradecimentos à Alessandra Pinho (RJ) que encaminhou a anedota pró

Site: http://www.ocisco.net/

You broke my music


Maria nasceu a cantar. A mãe contava-lhe como na noite em que veio ao mundo toda a maternidade parou ao ouvir o seu choro que parecia um canto. Maria cantava no banho, no carro, na cama para adormecer. Cantava às bonecas dispostas em fila na pequena cama que partilhava com o irmão. E quando ele chegava ao quarto esconso e atirava as bonecas para o chão, por pura maldade fraternal, Maria engolia as lágrimas e soluçava cantigas de embalar a cada uma delas, enquanto ajeitava os vestidos rasgados e as cabeças partidas.

Além das bonecas, o público preferido de Maria era o avô. Ele era o seu maior admirador e nunca se cansava de a ouvir, ao contrário de todos os outros adultos. Ouvia atentamente cada verso, admirava as coreografias e aplaudia sempre no fim. Na véspera de uma visita ao avô, Maria quase nem dormia a pensar na nova canção com que iria surpreendê-lo.




E assim se passou a infância de Maria, que não se pode dizer ter sido feliz, mas à qual nunca faltou banda sonora. Havia uma música para os dias em que o pai entrava em casa embriagado e batia em tudo o que se lhe atravessasse à frente. Havia uma música para quando a mãe prometia não demorar, mas nunca mais vinha. Havia uma música para enganar o estômago quando o jantar não chegava para todos. Não havia desgosto nem dor que lhe tirasse o canto. E quem a visse cantarolando nas ruas, à janela, dentro e fora da escola, pensaria que aquela mulatinha de olhos rasgados e carapinha entrançada era a criatura mais feliz do mundo.

Só que um dia Maria deixou de cantar. Tinha 14 anos. Foi no dia em que o avô morreu. A principio ninguém reparou. Entre o luto e as burocracias que envolvem o último dia de alguém na terra, não havia tempo para notar a falta da música de fundo. Mas os dias passavam e o silêncio pesava e pesava até se tornar insuportável. A casa estava mais triste, a rua inteira estava mais triste e o pior é que ninguém sabia explicar porquê. Maria tornara-se uma adolescente escanzelada, de olhos vazios e lábios selados.

Como a maioria das meninas do bairro, Maria deixou a escola para contribuir para o orçamento familiar. Os dias eram passados na fábrica e as noites a tomar conta dos irmãos, que eram tantos e tão diferentes, fazendo o papel de mãe que não conhecia, porque a sua demorava sempre nas ruas. Quando todos dormiam, subia ao telhado e ficava a olhar para o bar do outro lado da rua, onde cantoras envoltas em plumas e fumo de cigarro eram admiradas por homens e mulheres. À porta estava sempre um homem de fato branco e chapéu de palha, sorriso aberto e olhos de mau caminho. Era elegante no seu jeito gingado, cumprimentava as senhoras casadas com um beija-mão e as solteiras com um segredo ao ouvido. Nunca saía do bar sozinho e, às vezes, elas lutavam como galinhas para serem as eleitas da noite. Quando não estava a exibir-se para as mulheres, fitava as estrelas com o olhar sonhador de miúdo reguila.

Uma noite esse olhar cruzou o de Maria, que cada vez passava mais tempo no telhado e tinha mais vontade de cantar. Ele começou por lhe mandar beijos e olhar para ela enquanto beijava as outras. Depois, nos momentos em que não estava ninguém à porta do bar, ficava a admirá-la como outrora fazia com as estrelas. Mais tarde aproximou-se do telhado e pediu-lhe o nome, depois a mão, depois o corpo. De repente, toda a casa voltou a iluminar-se, as ruas pareciam mais alvas e a fábrica produzia num ritmo dançado. Maria passava os dias a cantar como antes, melhor que antes, e as noites no frio do telhado à espera dos minutos de loucura que faziam esquecer todas as outras horas.

Numa dessas noites de luxúria Maria não conteve os gemidos e, tal como no momento do seu parto, da garganta soltaram-se notas. Os cães pararam de ladrar, persianas foram corridas, luzes acendidas. Ele olhou-a com amor, pela primeira vez depois de tantas vezes, e disse-lhe que o seu nome estava nas estrelas. Aquela não podia mais ser mera música de fundo de um bairro sujo e decrépito. Maria largou então a fábrica e o telhado e começou a cantar no bar do seu homem.

Os anos passaram, disfarçados por pó de arroz e luzes de cena, que disfarçavam os olhos negros do ciúme. Nunca aquele espaço esteve tão lotado como nos anos em que Maria pisava o palco e soltava a voz. As outras cantoras sabiam que estavam a anos luz do seu talento e isso, de alguma forma, fazia com que não sentissem inveja. Inveja por terem perdido o estrelato e sobretudo o homem que antes era de todas. De preferida do dono, Maria depressa se tornou a estrela mais admirada e não havia noite em que o seu camarim não transbordasse de flores, cartas, promessas, que para ela não significavam nada porque tudo o que cantava vinha de dentro, do seu amor. A princípio ele gostava de ser o macho da fêmea mais cobiçada, mas depressa surgiram as dúvidas, as inseguranças, as suspeitas de traição. Aos poucos as noites de prazer tornaram-se noites de mágoa e ressentimento, que nem o profundo amor que sentiam um pelo outro conseguia apagar.

Numa dessas noites de fumo e perdição, ele saiu com uma bailarina, por puro despeito, fazendo questão de passar pela frente do palco para que Maria não os pudesse evitar. Nessa noite ela cantou melhor que nunca, com o coração em pedaços, partido como os discos que ele arremessava contra a parede só por maldade, tal como o seu irmão fazia com as bonecas. Depois da cortina fechar, do público aplaudir de pé, das flores se amontoarem no palco, Maria limpou o camarim, deixou as plumas e o vestido de lantejoulas e saiu andando pela rua. Nunca mais ninguém a viu. Nunca mais Maria cantou.

Filipa Fonseca Silva

(Mantida a redação original)


Filipa Fonseca Silva (1979) é uma jovem escritora de Lisboa, Portugal. Não tem livros editados.

Agradecimentos à Filipa e ao Site: http://www.releituras.com/

Frases "com HUMOR" e "com AMOR"... rsrs




O arqueólogo é o melhor homem com quem uma mulher pode casar, pois quanto mais velha, tanto mais interesse terá nela.”
(Agatha Christie)

Ri-te, ri-te...



Sebastião da Gama - O poeta beija tudo




O poeta beija tudo, graças a Deus... E aprende com as coisas a sua lição de sinceridade...

E diz assim: "É preciso saber olhar..."

E pode ser, em qualquer idade, ingénuo como as crianças, entusiasta como os adolescentes e profundo como os homens feitos...

E levanta uma pedra escura e áspera para mostrar uma flor que está por detrás...

E perde tempo (ganha tempo...) a namorar uma ovelha...

E comove-se com coisas de nada: um pássaro que canta, uma mulher bonita que passou, uma menina que lhe sorriu, um pai que olhou desvanecido para o filho pequenino, um bocadinho de sol depois de um dia chuvoso...

E acha que tudo é importante...

E pega no braço dos homens que estavam tristes e vai passear com eles para o jardim...

E reparou que os homens estavam tristes...

E escreveu uns versos que começam desta maneira: "O segredo é amar..."



(Sebastião da Gama)


Meu agradecimento ao Site: http://belostextos.aaldeia.net/opoeta.htm

Pensamentos e Reflexões

Saber Transmitir a Verdade

É bem possível dizer a verdade e não ser verdadeiro ou não ter uma relação verdadeira. E isto acontece mais do que se pensa. Quando não atendo à condição do outro, à sua sensibilidade, linguagem, idade, etc., posso dizer tudo certo e o outro ficar mais longe e mais desconfiado, e a relação não ser humana e verdadeira. A verdade humana é ser construtivo na relação. Da verdade lógica também os computadores são capazes...


(Padre) Vasco Pinto de Magalhães, in "Não Há Soluções, Há Caminhos"


Agradeço imensamente ao Site: http://www.citador.pt/

Cuidado com a FRUSTAÇÃO



A frustração pode ser um círculo vicioso e descendente. Se você se frustra com o seu trabalho, este se torna ainda mais difícil, o que leva a mais frustração. Quando você se frustra com as ações de outras pessoas, suas atitudes freqüentemente reforçam o comportamento ofensivo delas, o que aumenta sua frustração.

Na frustração existe ressentimento, mas também o desejo de melhorar. Esqueça o ressentimento. Ele só serve para tornar a situação ainda pior. Em vez disso, concentre-se na motivação necessária para transformar essa situação em algo proveitoso.

Use a energia da sua frustração não para responder com raiva e ressentimento, mas para seguir em frente de maneira positiva. Não veja sua frustração como uma desculpa para sentir pena de si mesmo. Considere-a como uma forma de identificar oportunidades de crescimento em sua vida.

Esforce-se para eliminar o ressentimento e a autopiedade da sua frustração, e ela se tornará uma força poderosa e positiva.

Recebido por e-mail do Site: http://www.diabetenet.com.br/

terça-feira, 12 de maio de 2009

Um PROVÉRBIO dos "nossos dias"...


A fome não tem lei
A fome não tem lei
A fome
NÃO
tem LEI
Nota: esta foto foi escolhida propositamente nesta côr. A FOME não tem NADA de "colorido"...!!!
1lindomenino

A Madrinha de Guerra

125 avos do segundo.
125 avos de um segundo, foi quanto tempo ela esteve naquela posição; se a película fotográfica era muito sensível esteve até menos tempo.
Agora ficou, podemos dizê-lo, para toda a eternidade a olhar para nós naquela fotografia que o cabo Ramos me exibe à espera do veredicto.
‑ Atão?

Vacilo entre o comum e o vulgar. Na parede ao fundo vê-se quase completamente um quadro que mostra em letra gótica muito elaborada a palavra "Motel" e depois uma lista de advertências destinadas aos utentes. A pose estudada faz adivinhar a voz do homem que disparou a máquina ‑ Agora olha pela janela… isso! E ela atirou o cabelo para trás com um gesto desajeitado e deixou que o seu olhar caísse da janela, lento e triste como uma ave pousando cansada no passeio da rua lá em baixo e vestiu à pressa um sorriso pouco convincente, que lhe ficou pendurado no rosto como um lenço solitário a enxugar, num estendal vazio.
A pele dos braços, fazendo antever toda a extensão latifundiária do corpo nu sobre a cama, inspira-me, como ao fotógrafo terá inspirado, sadismos de felino perante uma presa fácil.

Que aconteceu? Uma noite de paixão ou uma simples troca de fluidos que não deu para iluminar aquele rosto de onde se desprendeu a ave triste de um sorriso, para ir pousar numa insignificância qualquer, no passeio da rua?
O Cabo Ramos olha-me um pouco desconsolado com a minha aparente dificuldade em proferir um juízo; eu olho-o com um sorriso pateta e pergunto ‑
É a tua namorada?
Viro instintivamente a foto ao contrário onde uma letra de um desconcerto semi-analfabeto, nitidamente escrita sobre uma mensagem anterior, mal rasurada, promete ‑ Amor gardo-me para ti".
Encaro o olhar quase ofendido do Ramos e ele responde ‑ Madrinha de guerra.
Aquela mulher, que a minha imaginação pervertida pela abstinência forçada transformou numa galdéria, trouxe um pouco de esperança ao coração de um soldado.
‑ Fiquei admirado. É linda! E o cabo Ramos olhou-me com um ar feliz.
125 avos do segundo é quanto o cabo Ramos conhece daquela mulher e o sorriso dele diz-me que está apaixonado.
‑ Foi na Flama. Tinha lá esta foto e a morada. Ópois a gente escrevemos-se. ‑ Fiquei admirado. É linda! Digo eu novamente, como se inventar uma segunda mentira fosse duplamente reprovável.
Guardou a foto no dólmen, orgulhoso, e virou-se para a ração de combate enquanto eu fiquei a lutar com uma lata de bacalhau à biscainha que teimava em não se deixar abrir.
É um verdadeiro prodígio o que um ínfimo relâmpago de 125 avos do segundo de sensualidade pode fazer na vida de um soldado solitário e desterrado, cujo maior entretenimento é a luta pela sobrevivência.
Olho o cabo Ramos ali acocorado com a caixa de cartão da ração de combate pousada na G3, cruzada sobre as pernas, comendo com as mãos sujas de uma lata verde-azeitona e não posso esquecer a silhueta do corpo daquela mulher, num motel de terceira categoria, exibindo a sensualidade possível de um ombro e de um braço nus, que despertou em mim uma perversidade de um leitor de romances de cordel.
Mas é o que eu não vejo que verdadeiramente me seduz… onde pousou aquele olhar? Que insignificância na rua serviu de desculpa para a tristeza lhe pousar ao de leve no rosto? Que sinal na pele, único e oculto, sob a roupa, faria do cabo Ramos o seu mais íntimo amante, se o conhecesse? Que timbre na voz o acordaria de noite por ter partido o vidro frágil da sua alma de camponês boçal?
No verso da foto a mensagem rasurada. Que desilusão a fez apagar? Que promessa de encontros sórdidos num motel suburbano, à míngua de uma história de amor, foi substituída por um voto de uma castidade serôdia?
Não sei como, uma súbita ternura apoderou-se de mim.
Ah, se eu pudesse pegar-te nas mãos e olhar-te nos olhos e dizer-te que a luz insegura do teu sorriso me encanta tanto como a sombra que vestiu de tristeza o teu olhar.
‑ Amor gardo-me para ti.
Que tenho eu que pudesse dar-te, para além de uma mão febril sobre um seio gelado, para além da libido predatória e canibal? Como uma palavra escrita na superfície da esperança, que ao lê-la, tivesses a certeza que me conhecias desde sempre, uma certeza inabalável, que nunca vestisse o teu sorriso de tristeza.
‑ Ópois a gente escrevemos-se.

(grafia original do texto)


Manuel Bastos


Os meus agradecimentos ao Manuel e ao Site: http://textocompleto.blogspot.com/

Nota de 1lindomenino: este e outros "escritos" do Manuel Bastos são genuínos e, para quem lá esteve no "Ultramar" Português, não pode deixar de se comover e de pensar em TODAS as situações em que, a grande maioria de nós, esteve "envolvido". Para ser "mais explícito: nas quais FOMOS ENVOLVIDOS... !!!

MAIS Setúbal (Portugal)... aliás, SETÚBAL é SEMPRE MAIS...!!!

Do Castelo de S.Felipe contemplando o Sado e Tróia


Praça Machado Santos ( Fontenova)



Trecho da Avenida Luísa Todi


Praça do Bocage - Fronteiro à Câmara Municipal Setúbal
Apesar das "contigências políticas", SETÚBAL é, por SI só, uma cidade "apetecível" para viver e nos encantar... TODOS OS DIAS... !!!
Mesmo estando longe "dos olhos"... "Cidade Encantada"... TE AMO...!!!

Perder a viagem

Você pede ao patrão para sair mais cedo do trabalho, pega um ônibus lotado, vai para um consultório médico que fica no centro da cidade, gasta seus trocados, seu tempo e seu humor, e, ao chegar, esbaforido e atrasado, descobre através da secretária que sua hora, na verdade, está marcada para semana que vem. Sinto muito, você perdeu a viagem.

Todo mundo já passou por uma situação assim, de estar no lugar errado e na hora errada por pura distração. Acontecendo só de vez em quando, tudo bem, vai pra conta dos vacilos comuns a qualquer mortal. O problema é quando você se sente perdendo a viagem todos os dias. Todinhos. É o caso daqueles que ainda não entenderam o que estão fazendo aqui.

Estão perdendo a viagem aqueles que não se comprometem com nada: nem com um ofício, nem com um relacionamento, nem com as próprias opiniões. Estão sempre flanando, flutuando, pousando em sentimento nenhum, brigando por idéia nenhuma, jamais se responsabilizando pelo que fazem, pois nada fazem. Respirar já lhes é tarefa árdua e suficiente. E os dias passam, e eles passam, e nada fica registrado, nada que valha a pena lembrar.

Estão perdendo a viagem aqueles que, em vez de tratarem de viver, ficam patrulhando a existência alheia, decretando o que é certo e errado para os outros, não tolerando formas de vida que não sejam padronizadas, gastando suas bocas com fofocas, seus olhos com voyeurismo, sem dedicar o mesmo empenho e tempo para si mesmo.

Estão perdendo a viagem aqueles preguiçosos que levam semanas até dar um telefonema, que levam meses até concluir a leitura de um livro, que levam anos até decidir procurar um amigo. Pessoas que acham tudo cansativo, que acreditam que tudo pode esperar, que todos lhe perdoarão a ausência e o descaso.

Estão perdendo a viagem aqueles que não sabem de onde vieram nem tentam descobrir. Que não sabem para onde ir e nem tentam encontrar um caminho. Aqueles para quem a televisão pode tranqüilamente substituir as emoções.

Estão perdendo a viagem aqueles que se entregam de mão beijada às garras do tédio.


Martha Medeiros


Enviado via e-mail do Site: www.portaldiabetes.com.br/

Mesa dos sonhos de Alexandre O'Neill


Ao lado do homem vou crescendo

Defendo-me da morte quando dou
Meu corpo ao seu desejo violento
E lhe devoro o corpo lentamente

Mesa dos sonhos no meu corpo vivem
Todas as formas e começam
Todas as vidas

Ao lado do homem vou crescendo

E defendo-me da morte povoando
de novos sonhos a vida.

Alexandre O'Neill

Agradeço ao Site: http://www.astormentas.com/


segunda-feira, 11 de maio de 2009

Sociedade é a Imagem do Homem


O aperfeiçoamento da Humanidade depende do aperfeiçoamento de cada um dos indivíduos que a formam. Enquanto as partes não forem boas, o todo não pode ser bom. Os homens, na sua maioria, são ainda maus e é, por isso, que a sociedade enferma de tantos males. Não foi a sociedade que fez os homens; foram os homens que fizeram a sociedade.
Quando os homens se tornarem bons, a sociedade tornar-se-á boa, sejam quais forem as bases políticas e económicas em que ela assente. Dizia um bispo francês que preferia um bom muçulmano a um mau cristão. Assim deve ser. As instituições aparecem com as virtudes ou com os defeitos dos homens que as representam.



Teixeira de Pascoaes, in "A Saudade e o Saudosismo"


Agradecido ao Site: http://www.citador.pt/

domingo, 10 de maio de 2009

Quénia: mulheres processadas por greve de sexo


Após uma semana de abstinência, queniano pede indemnização por «ansiedade e noites sem dormir»


A greve de sexo levada a cabo por activistas no Quénia, como forma de pressão aos líderes políticos do país, levou a que um queniano entrasse com o processo contra o G10 (o grupo de activistas que convocou o protesto), segundo informação da «Globo».

Após uma semana sem sexo, o queniano James Kimondo entrou com um pedido de indemnização no tribunal de Nairobi, alegando angústia mental, stress, dor nas costas e falta de concentração.

«Desde que as mulheres apelaram ao boicote de sexo, a minha esposa tem negado os meus direitos conjugais. Isto tem-me causado ansiedade e noites sem dormir», disse o queniano.

O grupo de mulheres que deu origem a tal greve afirmou que foi um sucesso. A greve terminou na passada quarta-feira e teve como objectivo pressionar os líderes para que se deixem de disputas irrelevantes enquanto o país passa por graves problemas económicos e políticos.

A violência tem assolado o país, especialmente depois das eleições de 2007, causando a morte a cerca de 1.500 pessoas.

O presidente do Quénia, Mwai Kibaki e o seu rival Raila Odinga foram pressionados, por mediadores internacionais, a partilhar o poder após tal tragédia. Odinga terá acusado Kibaki de fraude na eleição presidencial, provocando protestos violentos.


Agradecimento ao Site: http://www.tvi24.iol.pt/

BUDA disse...