POR UM PORTUGAL DIFERENTE

POR UM PORTUGAL DIFERENTE
ABRIL VIRÁ...!!!

EXPERIMENTE... VÁ ATÉ LÁ!

MUDAR...

Estrela - DestaquesNinguém pode ser escravo de sua identidade; quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar. (Elliot Gould)

Frases e Mensagens -

NÃO HÁ ACORDO...!!!...

NÃO HÁ ACORDO...!!!...
... Português há só UM...!!!

TRADUÇÃO/TRANSLATE/TRADUCION

SEM IMITAÇÕES...

ACREDITE...

"Nunca faça graça de graça. Você é humorista, não político."

A Hora em Poá (BRASIL)

"Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo."

VELHO PROVÉRBIO PORTUGUÊS

"Dois olhos vêem mais do que um só."
Veja Frases para Orkut - Kifrases.com

LOVE, love, LoVe

OvEr ThE RaInBoW

1lindoMENINO ...

Verdade, Verdadinha...!!!

zwani.com myspace graphic comments

1lindomenino

Menininhas e inhos venham a mim...

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "isto"... e MUITO MAIS...!!!

António GEDEÃO


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.GEDEÃO

SEJA ASSIM... COMO EU!

recadosparablogseorkut.com


Mais Um(a)...!!! OBRIGADO...!!!

sábado, 2 de maio de 2009

Uma "PIADA"... "Vaca que entende de motor"


Um cara dirigia numa estrada quando, de repente, o seu carro pifa de vez. Ele encosta e começa a mexer para tentar saber o que aconteceu. Uma vaca chega de mansinho, enfia a cabeça debaixo do capô e comenta:
— Pra mim, o problema é no motor.
O dono do carro leva o maior susto e fala ao proprietário da vaca:
— Amigo, é incrível! A sua vaca falou e disse que o problema do meu carro é no motor.
— Ih, esquece! Essa aí só entende de motor a diesel.

Only You

Virado para o altar, na mais profunda concentração, pedia - de certeza - a benção divina. Minutos depois começou a cantar. Uma voz de anjo recortada na penumbra, tocava a alma. A acústica da velha capela seiscentista conferia ao momento um toque de magia. E enquanto a voz percorria a letra da canção, senti que cá dentro, se abriam as comportas da emoção.
Escondi os olhos atrás dos óculos, e saí. Continuei a ouvir a voz de anjo cantar uma das minhas canções preferidas. Dos meus olhos, duas lágrimas furtivas teimavam sair.
Acendi um cigarro e lavei os olhos no Sado.

Adelaide Coelho

Meu Obrigado à Adelaide e ao seu Site: http://pelosonhoehquevamos.blogspot.com/
Adelaide, deixo-te um "recadinho": que SAUDADES de "lavar" os meus olhos no "nosso" SADO.

Tantos anos, tantas memórias!

Podia ainda sentir a pele dela na sua pele. Como se o seu corpo tivesse guardado as memórias de todas as sensações, cheiros, dos afagos e também dos momentos amargos, porque tinham existido.

E contudo, quando relembrava os longos anos dormidos na mesma cama, a rotina dos dias quase sem alvoroço, o que lhe vinha à memória era a doçura do amor que tinham partilhado.

Agora que estava só, era como se visse a cidade pela primeira vez. Os prédios de Lisboa tinham perdido a cor. O céu que lambia o rio ali espalhado na sua varanda, já não tinha aquela cor mágica, do rosa-claro na madrugada, o azul transparente durante as horas do dia e por fim, o longo mergulho do ocaso, como se o rio e o céu se abraçassem e engolissem a cidade. Tudo isso desaparecera.

A solidão comera-lhe os sentidos, a saudade dela levara para o outro lado do outro mundo que seguramente existia, levara-lhe tudo e deixara-o ali, vivo mas sem sangue a correr-lhe nas veias. Quase quarenta anos, e a mão dela tão pequena, que cabia perfeita no aconchego da sua mão.

Os filhos, coitados, bem que o tentavam animar. Mas quando estava com eles, rodeado pela família, era ainda mais forte a dor no peito, a ausência dela era tão grande, tão forte que era como uma sombra negra que mais ninguém via.

Não falava sobre o que sentia com ninguém. Nem com o grupo de amigos, velhos reformados e que se sentiam tão inúteis como ele, e que se juntavam ali no jardim para um jogo de cartas. A morte era tema proibido entre eles. A morte, sentiam-na ali à esquina, ao dobrar da rua. Era uma nuvem que os seguia pelas ruas e pelas casas.

Mas não era a morte que temia, mas sim a vida, a vida sem a sua mulher era uma ausência de tudo.


Luisa Castel-Branco


Meus agradecimentos à Luísa e ao Site: http://www.destak.pt/

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Dormindo no ponto

Especialistas recomendam conexão entre turno escolar e relógio biológico de estudantes


Ficar até altas horas na internet e dormir só de madrugada. No dia seguinte, briga para sair da cama e baixo rendimento na escola. O problema, enfrentado diariamente por grande número de pais e alunos, é mote do livro O sono na sala de aula – tempo escolar e tempo biológico. Os autores, o neurocientista Fernando Louzada e o neurofisiologista Luiz Menna-Barreto, produziram a obra pensando em conscientizar educadores sobre a importância do sono na vida do estudante.

Mas o livro acaba não se destinando apenas ao público-alvo originalmente pensado e atrai também o interesse de pais e alunos. “A escola deve respeitar o relógio biológico dos estudantes, sem impor regras”, salienta Louzada, do Departamento de Fisiologia da Universidade Federal do Paraná. A propósito, os autores destacam o dever das instituições de ensino de zelar pelo sono de crianças e adolescentes e trazem sugestões de como monitorar a qualidade do sono dos alunos.

O mais novo título de Louzada e Menna-Barreto, que trabalham juntos há quinze anos, é um desdobramento de outra obra deles, Relógios biológicos e aprendizagem, lançada em 2000. O sumário de O sono na sala de aula apresenta três tópicos. Ao final da leitura, porém, percebe-se que o livro tem de fato duas partes. A primeira apresenta conceitos gerais relacionados com o tema sono; depois eles são aplicados no cotidiano escolar. A abordagem da questão é feita de forma simples (como propõe a coleção ‘Ciência no Bolso’, da editora carioca Vieira&Lent, na qual o trabalho foi lançado), mas não deixa de abranger os pontos essenciais. De posse dessas informações, o educador está apto a ajudar seus alunos a melhorar o rendimento na escola.

Os ‘sistemas de temporização’, ou relógios biológicos, como são mais conhecidos, dizem a que horas temos de dormir ou acordar (o mecanismo está relacionado com secreção hormonal e incidência luminosa). Nosso organismo, que está programado para realizar tais funções, desregula-se se algo foge à normalidade. Isso acontece, por exemplo, com a implantação do horário de verão (quando o dia tem 23 horas). O texto desmistifica a idéia amplamente disseminada de que só quem dorme oito horas por noite tem sono normal. Um grande dormidor (que precisa de mais de dez horas de sono) é tão normal quanto um pequeno dormidor (que se satisfaz com seis horas ou menos).

Sono paradoxal e sono delta
Os autores abordam também conceitos menos conhecidos, como ‘sono paradoxal’ e ‘sono delta’. Este último, que apresenta ondas lentas, é a parte mais profunda do sono, também conhecido por NREM. O sono paradoxal, ou REM, é uma fase com intensos movimentos oculares e baixa atividade dos demais músculos. Os estágios alternam-se durante a noite, formando ciclos de aproximadamente 90 minutos (uma noite tem, em média, de 4 a 6 ciclos). Um sono reparador deve ter certa quantidade de sono delta e paradoxal. Se não entramos nessas fases, o repouso é superficial e pouco reparador.

Os autores destacam também outra diferença, não menos significativa. Há quem goste de dormir tarde e acordar tarde (são os vespertinos) e quem prefira dormir cedo e acordar cedo (matutinos). “São comportamentos normais, porém diferentes”, diz Louzada. “Mas as atividades escolares começam às 7 da manhã para todos, sem distinção”, lembra. Isso é um problema para muitos, que acabam tachados de preguiçosos quando são apenas vespertinos.

Na adolescência, há um grande atraso nos ‘relógios biológicos’. Justamente nessa época (a partir da quinta série) em geral as aulas, até então oferecidas à tarde, passam a ser ministradas de manhã. Essa mudança, associada aos ‘ladrões’ de sono, como a tevê e o computador, compromete a aprendizagem devido à má qualidade do repouso.

Louzada sugere a oferta de aulas em turnos adequados a cada um dos dois tipos de alunos, os matutinos e os vespertinos. Mas ele reconhece que isso seria economicamente inviável. Matricular todos os estudantes no período da tarde também seria salutar, mas os próprios pais e alunos, por razões pessoais, são contrários a essa proposta. O sono na sala de aula aponta um problema relevante. As possíveis soluções para ele precisam ser seriamente estudadas.



Agradecimentos devidos ao Site: http://cienciahoje.uol.com.br/


PESSOA...

O amor romântico é como um traje que, como não é eterno, dura tanto quanto dura; e, em breve, sob a veste do ideal que formamos, que se esfacela, surge o corpo real da pessoa humana, em que o vestimos. O amor romântico, portanto, é um caminho de desilusão. Só o não é quando a desilusão, aceite desde o princípio, decide variar de ideal constantemente, tecer constantemente, nas oficinas da alma, novos trajes, com que constantemente se renove o aspecto da criatura, por eles vestida.

Fernando Pessoa


Meus agradecimentos ao Site: http://www.pensador.info


Poema: A rotina do Trabalhador


Logo pela manhã,
Os raios do sol estão apostos.

O andar já se começa rápido,
Para acompanhar o andar do dia.
O trânsito está super lotado,
O elevador já está quebrado.
A mesa lotada de papéis,
As reuniões logo começam.
Anda para lá, volta para cá,
Corre e resolve os problemas.
O celular não para de tocar,
O telefone da mesa insiste em gritar.
E ainda tem muitos e-mails à chegar.

Hora do almoço chegou,
Descanso por algum momento.
Sabendo que pouco depois,
Tudo isso vai virar um tormento.
Os telefones não param,
Os e-mails duplicam.
Que tarde ensolarada,
A praia está bonita.
Da janela do trabalho,
Vejo as pessoas lá fora.
Sorrindo, sem preocupação,
E vendo o dia ir embora.
Passa o dia, passa à hora,
Não vejo a hora de ir embora.
Minha casa, meu chuveiro,
Um bom banho e caio no travesseiro.

Publicado no Site: http://www.luso-poemas.net
Agradeço à Paloma, ao seu Blog e também ao Site onde foi publicado

1º de MAIO... uma MENSAGEM

Frases Curtas


1º de Maio - DIA DO TRABALHADOR - Nas minhas recordações do passado, lembro que a DITADURA FASCISTA em Portugal "batizou" este DIA como de DIA DAS ROSAS e incentivava as pessoas para ir colher as rosinhas (... um encanto... Não TENHO NADA contra as Rosas - só mesmo a favor...) e não pensar em "politiquices" e, muito menos, Sindicatos... e... "SALÁRIOS"... !!!

Os "BUFOS" do regime saíam TODOS para as ruas, cafés, cinemas para "controlarem a coisa"... os "SAUDOSOS DO PASSADO" recordam-se DISTO... ?!...


Hummm... julgo que Não... !!!

Já agora: tente reduzir ao mínimo as compras "neste Dia ESPECIAL" e fazer dele um dia de FESTA e de LUTA... afinal, no Mundo, muita gente MORREU e outra continua a LUTAR para que VOCÊ tenha uma "vida MELHOR e mais decentezinha". Colabore... e LUTE também...!!!


quinta-feira, 30 de abril de 2009

As Reflexões do Saber Cuidar

A busca da nossa essência e a compaixão como instrumento do saber cuidar
Newton Correia


Todos os dias somos desafiados entre optar pelas necessidades do Ser e a busca do Ter. Vivemos um eterno dilema sobre o que é justo e necessário e, o que é dispensável e excessivo. Quais são os nossos valores? Quais são as nossas referências? Mergulhados no vazio da vida contemporânea, percorremos um longo caminho e constamos: há uma grande crise em relação à existência humana na Terra.

A sociedade contemporânea criou um modelo de vida baseado no consumo desenfreado e no esgotamento dos nossos recursos naturais. Essa mesma sociedade tem priorizado o desenvolvimento econômico a qualquer custo, mesmo que isso signifique sacrificar as futuras gerações. Esse caminho é contra a vida e pode interromper com a nossa experiência neste Planeta.

Sabemos que é preciso correr contra o relógio. Só que ele pode despertar a qualquer momento e, se isso acontecer, o que teremos feito para que o fogo da vida não se apague? Precisamos defender a vida como um pai defende um filho. É preciso conscientizar, educar e lutar sempre para que possamos ganhar a adesão de mais pessoas comprometidas com essa causa.

A ciência do século XXI é prodigiosa em resultados. O avanço da tecnologia, que permite nos comunicarmos com qualquer parte do mundo em um segundo, promoveu avanços significativos na qualidade de vida dos cidadãos. Mas qual o preço disso tudo? Qual foi o sacrifício exigido para que se atendessem as supostas necessidades do Homem moderno?

Inicialmente, precisamos responder de que lado queremos ficar. Lentamente, estamos assistindo a morte gradual da vida que garante a nossa sobrevivência neste Planeta. Não são somente os recursos naturais que vão ficando, cada vez, mais escassos. Existe um grande vazio de valores éticos e morais. É preciso educar para transformar os diversos setores da sociedade, mas dentro de um modelo de valorização dos direitos humanos.

O desafio da sustentabilidade, em garantir a sobrevivência das futuras gerações, precisa valorizar o desenvolvimento econômico com o desenvolvimento social e ambiental. Não podemos ficar indiferentes à violência, à fome e ao caos impostos pelo modelo de sociedade que escolheram para nós. O momento é para sermos plural e trabalharmos em favor de ações de transformação social.

Acredito que deveríamos optar por uma vida mais simples. Não sou contra o desenvolvimento, ele é necessário e faz parte do processo de evolução. Cada um de nós tem o direito de prosperar, de crescer profissionalmente, essa é a mecânica da vida que privilegia o esforço de acordo com as oportunidades. E quem não tem oportunidade? Não podemos esquecer que não estamos sozinhos neste vasto mundo.

Não dá para sermos indiferentes, a indiferença criou abismos sociais muito sérios. Nas principais capitais brasileiras e no mundo observamos os índices alarmantes de violência. As grandes cidades estão partidas e divididas em guetos. Não dá virar as costas, até porque, a qualquer momento, poderemos ser as próximas vítimas.

O comentário mais comum é: “eu não posso fazer nada”. Pode sim. Plante uma árvore, ajude a associação do seu bairro, valorize as ações socioeducativas para os mais jovens e cuide dos mais velhos. Se procurarmos sempre haverá o que fazer. Esses são princípios do saber cuidar. Para isso, basta um pequeno esforço.

Para renovar os nossos valores e a nossa visão de mundo, é preciso exercitar a compaixão que existe dentro de nós. Vale a pena refletir sobre as observações que Leonardo Boff, no livro Saber Cuidar, faz sobre o sentido mais amplo do que representa a compaixão:

“A compaixão se insere dentro da experiência básica do budismo; articulando dois movimentos diferentes, mas complementares: o desapego total do mundo, mediante a ascese e o cuidado com o mundo, mediante a compaixão. Pelo desapego o ser humano se liberta da escravidão do desejo de posse e de acumulação. Pelo cuidado se re-liga ao mundo afetivamente, responsabilizando-se por ele”, comentou.

Outra questão é que muitos vêem a compaixão com uma visão inadequada. Ela é muito mais abrangente e pode ajudar a mudar diversas realidades. Esse sentimento é mobilizador e a compreensão dele permite a construção de algo real e transformador. Boff, no mesmo, livro consegue ampliar o conceito e nos oferece outro ponto de vista sobre o sentido dessa ação.

“A com-paixão não é um sentimento menor de piedade para com quem sofre. Não é passiva, mas altamente ativa. Com-paixão como a filologia latina da palavra o sugere, é capacidade de compartilhar a paixão do outro e com o outro. Trata-se de sair do seu próprio círculo e entrar na galáxia do outro enquanto outro para sofrer com ele, alegrar-se com ele, caminhar junto com ele e construir a vida em sinergia com ele”, explicou.

A busca da nossa essência está em redescobrirmos que somos capazes de desenvolver nobres sentimentos altruístas. Vamos reencontrar a nossa essência quando nos re-conectarmos com a mãe Terra e, percebermos que os quatro elementos: a água, a terra, o fogo e o ar fazem parte da nossa existência e que a manutenção da vida aqui não depende de uma força divina e sim de nós mesmos. Nós somos o divino para o nosso Planeta. Você já parou para pensar nisso?


Agradecimentos ao Site: http://sabercuidar.org/



Coisas que a vida ensina depois dos 40



Amor não se implora, não se pede não se espera... Amor se vive ou não. Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você. Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade. Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz. As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros. Perdoar e esquecer nos torna mais jovens. Água é um santo remédio. Deus inventou o choro para o homem não explodir. A ausência de regras é uma regra que depende do bom senso. Não existe comida ruim, existe comida mal temperada. A criatividade caminha junto com a falta de grana. Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar. Amigos de verdade nunca te abandonam. O carinho é a melhor arma contra o ódio. As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida. Há poesia em toda a criação divina. Deus é o maior poeta de todos os tempos. A música é a sobremesa da vida. Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente. Filhos são presentes raros. De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações. Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves queabrem portas para uma vida melhor. O amor... Ah, o amor...O amor quebra barreiras, une facções,destrói preconceitos,cura doenças... Não há vida decente sem amor! E é certo, quem ama, é muito amado. E vive a vida mais alegremente...






Agradecimento ao Site: http://www.pensador.info/



No "CAMINHO DAS ÍNDIAS"

Obrigados a fazer gesto obsceno na hora de votar
População e políticos indianos mostram o dedo médio em acto eleitoral...para evitar fraude

Mostrar o dedo médio, considerado como um gesto ofensivo, transformou-se num acto necessário nas eleições na Índia, como forma de evitar fraudes eleitorais, segundo informação da Globo.

Para votar, os eleitores indianos têm que pintar a ponta do dedo indicador com uma tinta especial, que demora algum tempo a sair, de forma a evitar que a mesma pessoa vote duas vezes.

Com a realização recentemente de eleições municipais em algumas cidades, ainda há pessoas com o dedo indicador pintado. Perante a necessidade das pessoas votarem nas legislativas, o Governo viu-se obrigado a tomar medidas, determinando a pintura da ponta do dedo médio da mão esquerda.

Assim sendo, na hora de votar, os indianos tiveram que fazer um gesto pouco educado. Não como forma de protesto mas sim como um acto eleitoral.

Tal como a população, também os próprios políticos tiveram que recorrer ao método. «Não percebi que estava a fazer um gesto obsceno até ver a fotografia nos jornais. É de muito mau gosto», afirmou o ministro Ashok Chavan.

Mostrar o dedo médio na Índia é um gesto considerado ofensivo tal como nos países ocidentais. Prova disto foi o caso de 2005, do australiano Greg Chappell. O técnico da equipa indiana de Críquete, terá provocado polémica na altura ao fazer o gesto para um grupo de apoiantes.


Agradecimentos ao Site: http://www.tvi24.iol.pt/


Ginecologista tarado (será que há...?!?!?!...)

Durante uma de suas consultas, aquele famoso ginecologista não resistiu à exuberância de uma de suas pacientes e avançou o sinal.
Ao sentir que o exame de toque havia virado uma orquestra, a mulher deu um pulo da maca, se vestiu e desembestou porta afora:
— Socorro! Tarado! Esse cara é um tarado!
Estupefatas, na sala de espera, as outras pacientes levantaram os olhos das revistas Veja e Caras do ano retrasado e assistiram à mulher sair correndo.
Logo o médico surge na porta e esclarece:
— Desculpem-me do transtorno! Essa mulher sofre de uma terrível síndrome e eu a aconselhei a procurar ajuda de psiquiatra. Ela teve um surto e acabou fazendo esse escândalo. Pobre coitada!.
Balançou a cabeça e entrou em sua sala novamente.
Logo em seguida, entra a secretária.
— E aí? — pergunta ele. — Acha que fui convincente?
— O discurso foi bom, mas faltou um pequeno detalhe: o senhor se esqueceu de vestir as calças!


quarta-feira, 29 de abril de 2009

Azulejos de SETÚBAL (Portugal)

Miradouro de S. Sebastião

Casa do Corpo Santo

Mercado do Livramento

Ahhh, "minha" Setúbal... quanta SAUDADE, quanta BELEZA ...!!!

Always On My Mind



Este meu blog estava e está "pensado" para ser um Blog com muitos mais artigos de minha autoria. Mas - e, nestas coisas, há sempre um mas - nem tudo tem corrido de molde a poder ser dessa forma.
Vou tentar começar a escrever mais, embora TUDO aquilo que neste momento FAZ PARTE deste blog tivesse sido escolhido por mim e portanto, os artigos e vídeos aquí contidos, são opções com que eu SEMPRE contaria.
Este "desabafo" é também para eu "ouvir"... rsrs
E, NÃO ESQUEÇAM: YOU ARE ALWAYS ON MY MIND... !!!



terça-feira, 28 de abril de 2009

Jorge Palma - Encosta-te a Mim (VÍDEO)

Ceticismo

Desci um dia ao tenebroso abismo,
Onde a dúvida ergueu altar profano;
Cansado de lutar no mundo insano,
Fraco que sou, volvi ao ceticismo.

Da Igreja - a Grande Mãe - o exorcismo
Terrível me feriu, e então sereno,
De joelhos aos pés do Nazareno
Baixo rezei, em fundo misticismo:

- Oh! Deus, eu creio em ti, mas me perdoa!
Se esta dúvida cruel qual me magoa
Me torna ínfimo, desgraçado réu.

Ah, entre o medo que o meu Ser aterra,
Não sei se viva p’ra morrer na terra,
Não sei se morra p’ra viver no Céu!

Augusto dos Anjos


Agradecimento ao Site: http://www.luso-poemas.net/

Também não sei o que é

I
Não consiste de matéria
Reside em todo ambiente
Até no vão da semente
Sua existência é etérea
Também está na artéria
Que espalha sangue num gato
Na faca de tratar fato
No gomo da poesia
No oco da melancia
Que a raposa deu um trato.

II

No solado de um chinelo,
No batente da calçada,
Em cima de uma latada,
No estrondo do martelo,
Pintado de amarelo,
Pode ter qualquer formato,
Tá na cidade e no mato,
No olhar frio da jia,
No oco da melancia,
Que a raposa deu um trato.

III

Não sei quem diabo já viu
Porém tá em todo canto
E pra me causar espanto
O danado hoje sumiu
Não sei por onde saiu
Pois ninguém tirou retrato
No sentido estrito ou lato
Às vezes ele se enfia
No oco da melancia
Que a raposa deu um trato

IV

Lhes digo sinceramente
Que eu nunca o avistei
Outro dia até pensei
Tê-lo inventado na mente
Mais nisso rapidamente
Ele veio em meu olfato
Trazendo seu cheiro inato
Que eu sei que já existia
No oco da melancia
Que a raposa deu um trato.
Jorge Filó
Jorge Renato de Menezes, conhecido como Poeta Jorge Filó, nasceu no Recife em junho de 1969 e antes de terminar o ano já morava em Tuparetama, sertão do Pajeú pernambucano, terra de grandes repentistas e poetas populares. Atualmente, mora no Recife onde cursa a Faculdade de Direito e faz do dia-a-dia um exercício contínuo de criação poética. Trabalha com produção cultural e exerce função de substituto em um cartório daquela cidade.

Agradeço ao Jorge Filó e ao Site: http://www.releituras.com/

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Aos meus amigos

Carinho é fonte energética.
Carinho é caminho de amor.
Carinho nunca é demais.
A afetividade é importante, sim.
Pois, como um ser humano ainda imperfeito,
ainda aprendiz, pode bastar-se a si mesmo?
Não, amigos, a individualidade, sem dúvida,
é direito de cada um de nós.
Mas, em excesso, é egoísmo.

Viemos aqui para aprender.
Aprendizagem é sinônimo de troca de experiências,
troca de energia, troca de informações,
troca de afeto, troca e troca...

Carinho é plumagem bonita, macia, gostosa de sentir.
Quem dá afeto se fortifica; quem o recebe se acalma,
se tranqüiliza, se equilibra.

Carinho é sinônimo de amor, amigos.
Amor é bálsamo para a nossa condição de criança espiritual.
Criança precisa de amor para crescer psicologicamente,
afetivamente e fisicamente saudável.

Criança precisa de apoio e de muita troca.
Portanto, também nós precisamos de afeto.
Não esqueçam desse detalhe amigos:
amor é fonte de energia, é vida, é crescimento.
Dêem e aceitem todo o tipo de afeto com verdadeiro amor.

(Castilho)

Cachorrinho Manco (Motivacional)

Diante de uma vitrine atrativa, um menino pergunta o preço dos filhotes "a venda. "Entre 30 e 50 dólares", respondeu o dono da loja.

O menino puxou uns trocados do bolso e disse:

- "Eu só tenho 2,37 dólares, mas eu posso ver os filhotes?"

O dono da loja sorriu e chamou Lady, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pelo. Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível.

Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou:
- "O que é que ha com ele?"
O dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril, sempre mancaria e andaria devagar.
O menino se animou e disse:

- "Esse é o cachorrinho que eu quero comprar!"

O dono da loja respondeu:
- "Não, você não vai querer comprar esse. Se você realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente."

O menino ficou transtornado e, olhando bem na cara do dono da loja, com o seu dedo apontado, disse:
- "Eu não quero que você o de para mim. Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo. Na verdade, eu lhe dou 2,37 dólares agora e 50 centavos por mês, ate completar o preço total."

O dono da loja contestou:
- "Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos."

Ai", o menino abaixou e puxou a perna esquerda da calca para cima, mostrando a sua perna com um aparelho para andar.

Olhou bem para o dono da loja e respondeu:
- "Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso."


Os meus agradecimentos ao Site: www.portaldiabetes.com.br/
(enviado por e-mail)

VITÓRIA há só UM... o de SETÚBAL e mais NENHUM...!!!



Enviado por e-mail pela Câmara Municipal de Setubal - Gabinete de Comunicacão, o que agradeço.
VIVA O VITÓRIA.

domingo, 26 de abril de 2009

Uma PIADA "inocente"... Acidente de Ferrari indecente

O sujeito está sozinho em casa, assistindo futebol e tomando sorvete, quando de repente toca o telefone:
— Alô! O senhor é o marido da Helena?
— Sou eu mesmo! Por quê?
— Tenho uma notícia um tanto desagradável para lhe dar: ela estava no banco de passageiro de uma Ferrari conversível que capotou três vezes na Avenida Central!
— Meu Deus! — grita o marido, desesperado. — Ela morreu?
— Não... O motorista morreu... Mas a sua esposa foi jogada para fora da Ferrari, caiu em cima de um arbusto e acabou escapando ilesa!
— Ufa, que alívio! — desabafou o marido. — Então eu não tenho razão para me preocupar...
— Tem sim! — continuou o informante. — Você nem imagina o que ficou preso na boca dela!


O meu Obrigado ao Site: http://piadashowdebola.blogspot.com/


Rio Azul (Setúbal/Portugal) - Letra da música

Setúbal, eu tenho pena
de não te poder cantar.
Tu és mote de um poema
que ninguem pode ensinar

Se há beleza em qualquer lado
se valesse algum dinheiro
com a princesa do Sado
comprava-se o mundo inteiro


Onde é que existe um rio azul igual ao meu
que em certos dias tem mesmo a cor do céu,
minha cidade é um presépio é um jardim
queria guardá-la inteirinha só para mim.


Setúbal terra morena
onde tudo fica bem,
tens a beleza serena
no rosto de minha mãe.

Ó rio Sado de águas mansas
que pró mar vais a correr,
não leves minhas esperanças
sem esperanças não sei viver.


Agradeço de coração ao Site: http://aiqueistocusta.blog.com/




Portugal - Quando a beleza natural e o engenho se juntam...

Avivo no teu rosto o rosto que me deste,
E torno mais real o rosto que de dou.
Mostro aos olhos que não te desfigura
Quem te desfigurou.
Criatura da tua criatura,
Serás sempre o que sou.


E eu sou a liberdade dum perfil
Desenhado no mar.
Ondulo e permaneço.
Cavo, remo, imagino,
E descubro na bruma o meu destino

Que de antemão conheço.

Teimoso aventureiro da ilusão,
Surdo às razões do tempo e da fortuna,
Achar sem nunca achar o que procuro,
Exilado
Na gávea do futuro,
Mais alta ainda do que no passado.

Miguel Torga


Agradecimentos ao Site: http://www.zeliars.hpg.ig.com.br/


"Amor É Fogo Que Arde Sem Se Ver"

Por achar interessante e, um pouco digamos, "inusitado" este género de Vídeo de um excerto dum Poema de Luís de Camões e, ainda por cima, com um fundo musical de Dulce Pontes, resolvi publicá-lo neste Blog.



"Amor É Fogo Que Arde Sem Se Ver" é o poema de um dos melhores poetas portugueses de todos os tempos Luís de Camões...Decidi juntar-lhe uma tradução para inglês (apesar de não ser das melhores...mas é o k s arranja xP) e pus também a música "Canção do Mar" da Dulce Pontes porque se adapta bem a este poema...Também tentei pôr algumas imagens de anime que seguissem a lógica do texto e acho que acabou por ficar bastante bom...Espero que gostem.
(Vidé Vídeo de pkribeiro)