POR UM PORTUGAL DIFERENTE

POR UM PORTUGAL DIFERENTE
ABRIL VIRÁ...!!!

EXPERIMENTE... VÁ ATÉ LÁ!

MUDAR...

Estrela - DestaquesNinguém pode ser escravo de sua identidade; quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar. (Elliot Gould)

Frases e Mensagens -

NÃO HÁ ACORDO...!!!...

NÃO HÁ ACORDO...!!!...
... Português há só UM...!!!

TRADUÇÃO/TRANSLATE/TRADUCION

SEM IMITAÇÕES...

ACREDITE...

"Nunca faça graça de graça. Você é humorista, não político."

A Hora em Poá (BRASIL)

"Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo."

VELHO PROVÉRBIO PORTUGUÊS

"Dois olhos vêem mais do que um só."
Veja Frases para Orkut - Kifrases.com

LOVE, love, LoVe

OvEr ThE RaInBoW

1lindoMENINO ...

Verdade, Verdadinha...!!!

zwani.com myspace graphic comments

1lindomenino

Menininhas e inhos venham a mim...

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "isto"... e MUITO MAIS...!!!

António GEDEÃO


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.GEDEÃO

SEJA ASSIM... COMO EU!

recadosparablogseorkut.com


Mais Um(a)...!!! OBRIGADO...!!!

sábado, 27 de junho de 2009

Político raptado afinal estava com a amante

Governador: último TANGO na... Argentina...!!! AHHH, "Leão"... rsrs

Governador da Carolina do Sul admitiu infidelidade e pediu desculpa



As autoridades da Carolina do Sul, nos EUA, procuravam o Governador há uma semana e a família já temia o pior. Rapto, homicídio, acidente, tudo foi equacionado. No entanto, Mark Sanford estava, afinal, com a amante, conta o 20minutos.

O republicano, que até já era apontado como possível candidato às eleições presidenciais de 2012, foi apanhado em flagrante por um jornalista na Argentina e não teve como escapar. Casado e com quatro filhos, o Governador da Carolina do Sul viu-se obrigado a dar uma conferência de imprensa para pedir desculpas.

Sanford admitiu que conheceu uma jovem argentina há oito anos e que, há cerca de um ano, o romance começou. Segundo o próprio, a família já sabia da traição e ele até foi à Argentina terminar com a amante: «Passei os últimos cinco dias a chorar.»

Segundo o New York Times, a esposa já havia pedido o divórcio, mas admitiu, em comunicado, que uma reconciliação «por amor» ainda é possível.



Agradecimento ao Site: http://www.tvi24.iol.pt/

Esperança


Esperança:
isto de sonhar bom para diante
eu fi-lo perfeitamente,
Para diante de tudo foi bom
bom de verdade
bem feito de sonho
podia segui-lo como realidade

Esperança:
isto de sonhar bom para diante
eu sei-o de cor.
Até reparo que tenho só esperança
nada mais do que esperança
pura esperança
esperança verdadeira
que engana
e promete
e só promete.
Esperança:
pobre mãe louca
que quer pôr o filho morto de pé?

Esperança
único que eu tenho
não me deixes sem nada
promete
engana
engano que seja
engana
não me deixes sozinho
esperança.


Mário de Sá-Carneiro


Agradecimento ao Site: http://www.astormentas.com/

UN CANTO A GALICIA




A voz melodiosa de Júlio Iglésias e o "seu canto a Galiza", uma Galiza que os Portugueses tão bem conhecem... e AMAM... (conforme "amostra em anexo"...) !!!

Chica: es mucho mejor que el viñito... !!!

A Dualidade do Simbolismo


Um símbolo contém uma verdade e uma inverdade, indestrinçáveis para o sentimento. Se o tomarmos tal como é e o configurarmos através dos sentidos e à imagem da realidade, nascem daí o sonho e a arte; mas entre estes e a vida real e plena ergue-se uma parede de vidro. Se o apreendermos com a razão e separarmos o que não coincide do que coincide perfeitamente, nascem daí a verdade e o conhecimento, mas arruinamos o sentimento. À semelhança daquelas estirpes de bactérias que dividem em duas partes a matéria orgânica, a espécie humana fragmenta em duas a condição vital primordial do símbolo: a matéria sólida da realidade e da verdade, e a atmosfera vítrea da intuição, da fé e do artefacto. Parece não haver uma terceira possibilidade; mas quantas vezes algo de incerto acaba por ser desejado, se não metermos muito a reflexão no caso!


Robert Musil, in 'O Homem sem Qualidades'


Agradecimento ao Site: http://www.citador.pt/

Paulo Gonzo - Sei-te de Cor

Nota de 1lindomenino:

o Paulo Gonzo numa excelente interpretação.

Esta é UMA das muitas músicas de QUALIDADE

"made in PORTUGAL"... !!!

O Negão Vendedor


Um exemplo de estratégia para atingir objetivos.

Chega a uma cidadezinha do interior já cansado do seu dia de trabalho, um vendedor negão (negro forte) que precisa repousar e vai para o único hotel da cidade, mas que, infelizmente não tem mais vaga.

O sujeito entra e fala:

- - Dê um jeito, por favor, que preciso dormir, nem que seja uma cama apenas.

O recepcionista responde:

- - Olha, tenho um quarto com duas camas, onde está hospedado um sujeito que me disse que gostaria de rachar as despesas com alguém. Mas tenho que avisá-lo, o sujeito ronca até não mais poder. Tanto que os vizinhos telefonam se queixando de que não conseguem dormir.

- - Sem problema, fico com o quarto, preciso dormir!

O recepcionista apresenta os hóspedes um ao outro e diz que o jantar está servido, para quem quiser.

No dia seguinte, o vendedor desce ao restaurante para tomar café e, contrariando as expectativas, estava bem disposto.

O recepcionista pergunta:

- - O senhor conseguiu dormir?

- - Sem problema!

- - Mas os roncos não o atrapalharam?

- - Nada! Ele não roncou nem por um minuto.

- - Como assim?

- - Bom, foi simples. O sujeito já estava dormindo quando entrei no quarto. Então me aproximei da cama dele e beijei a bunda dele, e falei:

“- Boa noite, coisinha linda...”

E o sujeito passou a noite toda sentado na cama me olhando assustado, com medo de dormir...



Agradecimento "especial" ao Site: http://boaspiadas.blogspot.com/

«Parecia um urso de peluche»

Dois jogadores resolveram mostrar o que não deviam



Dois jogadores são notícia por terem sido castigados por atitudes exibicionistas. O primeiro em Inglaterra, o segundo na Tasmânia. Ambos mostraram os órgãos genitais. Pelo meio ainda houve quem tivesse visto apenas um ursinho de peluche.

Aconteceu em Inglaterra, onde Danny May, um jogador dos amadores do Enfield Town, seguia para uma cirurgia genital. No caminho para o hospital mostrou o órgão sexual a uma senhora que passava. Conclusão, terminou nos tribunais e ouviu o que não quis.

Contou a vítima perante o juiz que Danny May vinha longe e reparou que ele tinha alguma coisa de fora das calças. «Depois olhei melhor, ele estava mais próximo, e percebi que não era uma bonequinha ou um pequeno urso de peluche como me tinha parecido inicialmente.»

A má notícia para Danny May é que o castigo pelo exibicionismo não termina aqui: o jogador amador ainda vai ter de cumprir uma pena de três anos de tratamento psicológico por ofensas sexuais.

Já na Tasmânia, um australiano de nome Tim Orchard, jogador do Clarence Football Club, resolveu mostrar-se como veio ao mundo durante uma entrevista que um colega estava a dar nos balneários. O país inteiro foi obrigado a vê-lo dessa forma em directo.

Naturalmente acabou despedido. O clube colocou de imediato um ponto final no contrato e aconselhou-o também a procurar tratamento hospitalar. Tim Orchard acabou por pedir desculpa pelo «embaraçoso e completamente inapropriado acto», disse.



Agradecimentos ao Site: http://www.maisfutebol.iol.pt/

O bem mais precioso



Conta o folclore europeu que há muitos anos atrás um rapaz e uma moça apaixonados resolveram se casar.

Dinheiro eles quase não tinham, mas nenhum deles ligava para isso.

A confiança mútua era a esperança de um belo futuro, desde que tivessem um ao outro.

Assim, marcaram a data para se unir em corpo e alma.

Antes do casamento, porém, a moça fez um pedido ao noivo:

- Não posso nem imaginar que um dia possamos nos separar. Mas pode ser que com o tempo um se canse do outro, ou que você se aborreça e me mande de volta para meus pais.

- Quero que você me prometa que, se algum dia isso acontecer, me deixará levar comigo o bem mais precioso que eu tiver então.

O noivo riu, achando bobagem o que ela dizia, mas a moça não ficou satisfeita enquanto ele não fez a promessa por escrito e assinou.

Casaram-se.

Decididos a melhorar de vida ambos trabalharam muito e foram recompensados.

Cada novo sucesso os fazia mais determinados a sair da pobreza, e trabalhavam ainda mais.

E tempo passou e o casal prosperou. Conquistaram uma situação estável e cada vez mais confortável, e finalmente ficaram ricos.

Mudaram-se para uma ampla casa, fizeram novos amigos e se cercaram dos prazeres da riqueza.

Mas, dedicados em tempo integral aos negócios e aos compromissos sociais, pensavam mais nas coisas do que um no outro.

Discutiam sobre o que comprar, quanto gastar, como aumentar o patrimônio, mas estavam cada vez mais distanciados entre si.

Certo dia, enquanto preparavam uma festa para amigos importantes, discutiram sobre uma bobagem qualquer e começaram a levantar a voz, a gritar, e chegaram às inevitáveis acusações.

- Você não liga para mim! - gritou o marido - só pensa em você, em roupas e jóias.

- Pegue o que achar mais precioso, como prometi, e volte para a casa dos seus pais. Não há motivo para continuarmos juntos.

A mulher empalideceu e encarou-o com um olhar magoado, como se acabasse de descobrir uma coisa nunca suspeitada.

- Muito bem, disse ela baixinho. Quero mesmo ir embora. Mas vamos ficar juntos esta noite para receber os amigos que já foram convidados. Ele concordou.

A noite chegou. Começou a festa, com todo o luxo e a fartura que a riqueza permitia.

Alta madrugada o marido adormeceu, exausto. Ela então fez com que o levassem com cuidado para a casa dos pais dela e o pusessem na cama.

Quando ele acordou, na manhã seguinte, não entendeu o que tinha acontecido. Não sabia onde estava e, quando sentou-se na cama para olhar em volta, a mulher aproximou-se e disse-lhe com carinho:

- Querido marido, você prometeu que se algum dia me mandasse embora eu poderia levar comigo o bem mais precioso que tivesse no momento.

- Pois bem, você é e sempre será o meu bem mais precioso. Quero você mais que tudo na vida, e nem a morte poderá nos separar.

Envolveram-se num abraço de ternura e voltaram para casa mais apaixonados do que nunca.

...................

O egoísmo, muitas vezes, nos turva a visão e nos faz ver as coisas de forma distorcida.

Faz-nos esquecer os verdadeiros valores da vida e buscar coisas que têm valor relativo e passageiro.

Importante que, no dia-a-dia, façamos uma análise e coloquemos na balança os nossos bens mais preciosos e passemos a dar-lhes o devido valor.



Recebido via e-mail do Site: www.portaldiabetes.com.br

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O Bolero de Ravel (uma HOMENAGEM...)

Nota de 1lindomenino: uma palavra e uma música para a morte de Michael Jackson. O lamento da "perda" precoce dum ENORME e predestinado artista. O "alerta" para aqueles que "modificam" o seu corpo ESTÚPIDAMENTE. Já dizia uma "velha canção-Rock" dos anos sessenta: "Black is Black"...!!! Uma dúvida: os "muitos" casos de "envolvimento" com crianças, pouco ou NADA "esclarecidos"... !!!

DESCANSA em PAZ, MJ... !!!

O AMOR NA VISÃO DAS CRIANÇAS

"Amor" foi o tema de pesquisa feita por profissionais de educação e psicologia a um grupo de crianças entre 4 e 8 anos, nos EUA, e transcrito no jornal "O que é o amor?"

* Se você quer aprender a amar melhor, você deve começar com um amigo que você não gosta - Nikka, 6 anos

* Quando minha avó pegou artrite, ela não podia se debruçar para pintar as unhas dos dedos do pé. Meu avô desde então, pinta as unhas para ela, mesmo quando ele tem artrite - Rebecca, 8 anos

* Amor é quando uma menina coloca perfume e o menino coloca loção pós-barba, aí eles saem juntos e se cheiram - Karl, 5 anos

* Quando alguém te ama, a forma de falar seu nome é diferente - Billy, 4 anos

* Amor é quando você sai para comer e oferece suas batatinhas fritas, sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatinhas dela - Chrissy, 6 anos

* Amor é quando alguém te magoa, e você mesmo muito magoado não grita porque sabe que isso fere seus sentimentos - Samantha, 6 anos

* Amor é quando minha mãe faz café para o meu pai e toma um gole antes para ter certeza que está do gosto dele - Danny, 6 anos

* Quando você fala para alguém algo ruim sobre você mesmo e sente medo que essa pessoa não venha a te amar por causa disso. Aí você se surpreende, já que não só continuam te amando, como agora te amam mais ainda- Mathew, 7 anos

* Há dois tipos de amor, o nosso amor e o amor de Deus, mas o amor de Deus junta os dois - Jenny, 4 anos

* Amor é quando mamãe vê o papai suado e mau cheiroso e ainda fala que ele é mais bonito que o Robert Redford - Chris, 8 anos

* Durante minha apresentação de piano, eu vi meu pai na platéia me acenando e sorrindo, era a única pessoa fazendo isso e eu já não sentia medo- Cindy, 8 anos

* Amor é quando você fala para um garoto que linda camisa ele está vestindo e aí ele a veste todo dia - Noelle, 7 anos

* Quando você ama alguém seus olhos sobem e descem e pequenas estrelas saem de você - Karen, 7 anos.

* Amor é quando seu cachorro lambe sua cara, mesmo depois que você deixa ele sozinho o dia inteiro - Mary Ann, 4 anos

* Eu sei que minha irmã mais velha me ama, porque ela me dá todas as suas roupas velhas e tem que sair para comprar outras - Lauren, 4 anos

* Amor é como uma velhinha e um velhinho que ainda são muitos amigos mesmo se conhecendo há muito tempo - Tommy, 6 anos




E você, como definiria o amor?


Agradecimento ao Site: http://textos_legais.sites.uol.com.br/


Ricardão em casa de corno com telefone (PIADA...?!...)

O Sujeito liga pra casa no meio da tarde para saber da esposa se vão a um aniversário à noite.

-Alôôô?
atende o telefone uma voizinha de criança.

-Oi, meu bem, é o papai.
Chame a mamãe para falar comigo no telefone?


-Pai, ela está lá em cima no quarto com o tio Ricardão.

Depois de pensar um pouco, o cara diz:

-Querida, você não tem nenhum tio chamado Ricardão!

-Tenho, sim! O titio Ricardão está lá em cima no quarto com a mamãe.

-Então está bem. Quero que você faça o seguinte: suba correndo a escada, bata bem forte na porta do quarto e grite para a mamãe e para o tio Ricardão que eu acabei de parar o carro na frente de casa.

-Tá bom! - E ela sai correndo.

Alguns minutos depois, volta a garotinha:

-Eu fiz o que você falou, pai.

-E o que aconteceu?

-Bom, a mamãe pulou da cama pelada e começou a correr pelo quarto gritando, tropeçou no tapete e caiu pela janela da frente, e agora ela está morta.

-Oh, meu Deus! E o tio Ricardão?

-Ele pulou da cama pelado também, estava muito assustado, e pulou pela janela do fundo pra dentro da piscina, mas acho que ele esqueceu que você esvaziou piscina na semana passada. Aí ele bateu a cabeça no fundo dela, e agora está lá, morto também.

Depois de um longo intervalo o sujeito diz:

-Piscina?! Por acaso o telefone dai é 3298-1643?

-Não!

-Desculpe, que foi engano!



Agradecimento ao Site: http://boaspiadas.blogspot.com/


Ciúme : Uma Ameaça ao Amor


Desconfianças constantes, interrogatórios diários, irritação ao ver a pessoa amada bem produzida... Quem já experimentou tais comportamentos sabe o quanto uma relação amorosa fica desgastada após uma crise de ciúme.

Trata-se de um sentimento negativo e não é indicativo da presença de um intenso amor mas, pelo contrário, revela a insegurança em relação aos sentimentos do parceiro, a necessidade de interferir sobre o outro e, principalmente, o medo da perda.

O ciúme traz dor pois é gerado por uma intensa desconfiança, na maioria das vezes infundada, valorizando o sofrimento e como sabemos o verdadeiro amor não dói, quando dói não é amor, é apego! Na realidade existe um grande medo de lidar com as próprias frustrações e perdas, além de uma sensação de inferioridade.

É comum pessoas ciumentas imaginarem perder seu amor para alguém "maravilhoso", bem melhor e mais qualificado. Quando isso ocorre é importante verificar atentamente os motivos do medo da perda. Resgatar a auto-estima se faz necessário, pois existem sinais claros de que algo a incomoda internamente. A baixa auto-estima faz parte de um processo e tem a ver com o modo que a pessoa se sente consigo mesma. Portanto, ao valorizar-se percebendo seus pontos positivos, fica mais fácil gostar de si e naturalmente doar seu amor ao outro.

Sessões terapêuticas podem ser um dos recursos viáveis para a conquista de um caminho mais breve e verdadeiro, pois um profissional possibilita descobrir quem realmente somos. Assim, reconhecendo suas falhas, adquirindo melhor domínio sobre si, não haverá espaço para nenhum sentimento negativo interferir no relacionamento.

Vale lembrar que cada ser humano é especial e único. É fundamental reconhecer que o outro está ao seu lado porque ama você e porque escolheu você. Afinal, ninguém é obrigado a manter um relacionamento.

Há casos em que o parceiro quer justificar um comportamento inadequado ou até mesmo agressões físicas e morais decorrentes de uma crise de ciúme, baseado na célebre frase: "Meu amor é verdadeiro, por isso sinto ciúme". Mas será que é possível relacionar amor com um sentimento de posse?

Amor é um sentimento inexplicável: puro, nobre, gostoso, prazeroso, saudável, doce, suave, manso. É também quente, forte e incondicional. Enfim, não combina em nada com o que conhecemos por ciúme.

Pessoas mais amadurecidas e otimistas administram e controlam bem suas emoções e são capazes de reconhecer e valorizar a magia da incerteza, uma vez que esta é a responsável pela "graça" do bem viver!



Recebido do Site: www.diabetenet.com.br

domingo, 21 de junho de 2009

Frente... e verso


Frente ...


Enroscou um fiapo do cadarço nas frestas do muro tosco, perdendo o fôlego da subida louca.
A intenção era fugir da sanha das botinas brutas, que gritavam em seu encalço.

A parada rápida — se livrou do tênis de marca, adquirido sem consentimento de um menino do outro lado, trouxe junto um alerta inútil:
Quantos seriam seus algozes, de quê mais estaria fugindo?

Sempre tinha esses pensamentos vãos; seu irmão já avisara que era coisa de demente: — Quem pensa muito não esquenta a vida. Como se fosse possível dominar o que se vai na cabeça, assim, como um controle remoto de televisão. — Pensar não é querer.
A autoflagelação do escárnio próprio não ensina a vontade de agir, do impulso feliz na inconseqüência de quem vive pendurado num fiapo de cadarço.

Saltou no espaço, caiu na linha do trem sem apito, que trafega trágico numa carcaça podre. Era só isso que passava pela sua vida;
um vagão que não levava à estação alguma, uma máquina sem motorista na falta de compromisso de chegar.

Sentiu a sola do pé nas pedras soltas, chutou sem jeito um prego enferrujado, vendo escorrer o sangue conhecido. A dor lembrou as tragédias antigas, sem data e sem registro, simples acontecimentos numa vida vadia.
Largou a arma no meio dos trilhos, chorou o dedo machucado e buscou o caminho daquelas linhas paralelas.

Sabia que, para o tiro que ouvira, era ele o alvo, e correu aguardando o baque. Que veio surdo, junto com a falta de ar que sentiu no peito. Quis gritar, mas o som ficou na garganta, estático no tempo que parou, enquanto ele sentia esquentar a bala nas costas. Pensou flutuar por um instante, livre do corpo atingido, alma lançada no vazio.
Viu a queda acontecer como num filme e não sentiu dor quando encontrou o chão, o rosto de boca aberta.

Com saudades da mãe, foi nela que pensou por último. Só queria dizer ao irmão que não era louco, que pensar não era culpa.
Só vontade de não sentir medo, ler um livro, ter um sonho e imaginar que a vida seria longa e feliz.


... e verso


Quão dolorido é esperar a lágrima se formar? O tempo de ouvir bater o coração, descompassado; intensamente sentir a contração da dor se formando. A gota salgada parece brotar no canto dos olhos ardidos, temendo escorrer pelo rosto vincado dos anos bandidos. Um segundo, uma eternidade, a lágrima pronta, esperando vencer a inércia para queimar os sulcos da pele, escorrendo rosto abaixo.

O soluço trai a frieza covarde do tiro no escuro. Apertar o gatilho sem mira, sem raiva, sem destino. Por ofício, rotina repetida dia a dia. Gesto comum, daqueles dos quais se ufana no bar: — bandido é bandido. O remorso era novo, desconhecido, mas parecia uma corrente represada que agora liberava seu núcleo nervoso pondo tudo a perder.

Sabia que chorar seria sua desgraça; entretanto, a fortaleza que segurava a culpa, entupida de tanta violência barata, ameaçava romper, liberando anos e anos de bons serviços.

Ficou olhando o corpo de bruços, no meio dos trilhos, a boca aberta engolindo as pedras da última refeição, com a certeza que, se fosse permitido, o alvo daquela arma largada no chão seria ele. Era uma guerra, com os códigos sujos da sobrevivência necessária.

A lágrima sufocada não era por aquele tiro, não por aquele corpo que espalhava o sangue na camisa barata, inundando as costas de um delinqüente comum. A dor que sentia, que aumentava, era pela vida medonha, escolha nenhuma, destino percorrido lentamente pelos desgraçados que estavam em qualquer lado daquela guerra estúpida.

Levado por um gesto insano, abraçou aquele corpo desconhecido, soltando o choro contido, liberando a batida do coração para soluçar por ele próprio e pelo sangue derramado.

Expiou a culpa do mundo, lembrando do filho que estava em casa, esperando o salário daquela profissão possível, para poder comprar um tênis novo.



Autor: Gilberto Borges da Silveira



Gilberto Borges da Silveira é analista ambiental do Ibama em Brasília. Escritor amador, tem um livro publicado: "Antigas Andanças".



Agradecimento ao Site: http://www.releituras.com/

A Felicidade e as Idades da Vida


O que torna infeliz a primeira metade da vida, que apresenta tantas vantagens em relação à segunda, é a busca da felicidade, com base no firme pressuposto de que esta deva ser encontrável na vida: o resultado são esperanças e insatisfações continuamente frustradas. Visualizamos imagens enganosas de uma felicidade sonhada e indeterminada, entre figuras escolhidas por capricho, e procuramos em vão o seu arquétipo.
Na segunda metade da vida, a preocupação com a infelicidade toma o lugar da aspiração sempre insatisfeita à felicidade; no entanto, encontrar um remédio para tal problema é objectivamente possível. De facto, a essa altura já estamos finalmente curados do pressuposto há pouco mencionado e buscamos apenas tranquilidade e a maior ausência de dor possível, o que pode ocasionar um estado consideravelmente mais satisfatório do que o primeiro, visto que ele deseja algo atingível, e que prevalece sobre as privações que caracterizam a segunda metade da vida.



Arthur Schopenhauer, in "A Arte de Ser Feliz"


Agradecimentos ao Site: http://www.citador.pt

Lonely Sky (VIDEO)

Nota de 1lindomenino (o Rui): esta música lindíssima mas TRISTE, é dedicada a TI, Paula Veríssimo. O "Lonely sky" apenas o vai ser para a tua Família que TU tanto amavas e para os teus Amigos a quem TU tanto te dedicaste... SEMPRE...!!!

MOMENTO DE EXTREMA TRISTEZA... "Eterno éter"

Este é UM daqueles momentos que, de quando em vez, nós temos nas nossas VIDAS e que mais DETESTAMOS ter... o dizer um "ADEUS eterno" para mais uma(o) AMIGA(O)...!!! Mas, temos colhido ensinamentos de que, HOJE, a qualquer momento, somos "forçados" a estas DESPEDIDAS... simplesmente "arrasadoras"... !!!

Ainda é, MAIS DIFÍCIL, quando estamos longe "em distância" delas e não podemos comungar, com "outros amigos", esta pêrda, esta TÃO GRANDE DÔR... !!!


Há poucos dias, estava eu na Net a lêr notícias e artigos de gente da minha cidade, quando li no Blog da Adelaide Coelho, este artigo que passo a transcrever "na íntegra":
Eterno éter
Em memória de Paula Veríssimo
M. 28/04/09
Partiste pela calada da noite. Em busca da tranquilidade que uma doença prolongada, traiçoeira, te roubou. Por esta altura já terás reencontrado a paz e a harmonia. Tenho a certeza que uma estrela te recebeu com muita luz. A mesma estrela que esta noite vou ver brilhar - intensamente - no céu. Brilhar e sorrir. Porque é impossível estar ao pé de ti e não sorrir.
Conhecemo-nos na rádio, lembras-te? Na rádio Azul. Há muitos anos. Na época em que as rádios ainda eram piratas, numa altura em que juventude, vontade de fazer coisas novas e generosidade concentravam em nós uma vontade guerreira de vencer e naturalmente criar laços de cumplicidade para a vida. Ultrapassar todos os obstáculos. Com a força e a coragem que uma gargalhada pode dar...
As tuas gargalhadas, como me lembro delas. Logo pela manhã, a qualquer hora do dia. Só consigo lembrar-me de ti sempre a rir. E esta é a melhor memória que se pode ter de alguém. É assim que estás nas minhas boas lembranças. Porque as pessoas de quem gostamos ficam para sempre na memória e no coração.
Até sempre Paula Veríssimo. Voz da Rádio. Rádio Voz, Rádio Azul e agora - de certeza - na Rádio do Além. A animar o céu com a tua eterna boa disposição.
Postado por Adelaide Coelho às Terça-feira, Abril 28, 2009


Nota de 1lindomenino: NÃO SABERIA, certamente, descrever tão BEM a Paula como a Adelaide o fez...!!! Mas, recordo a Paula, com a graciosidade e a simpatia que irradiava e, os momentos, em que tomávamos o nosso cafézinho e colocávamos a "nossa escrita" de "cusquices" em dia... rsrs
PAULA VERÍSSIMO: desculpa-me por NÃO TER PODIDO ESTAR na tua "despedida" mas, ao mesmo tempo, também me questiono... será que ALGUMA VEZ eu me conseguiria DESPEDIR de um SÊR tão formidável quanto TU eras, és e serás... ?!
Vais, como outros Amigos, viver SEMPRE dentro de NÓS... PAULA... !!!
Sorrindo... SEMPRE...!!!

2ª Nota: não poderia te escrever este Artigo sem te deixar aquí 2 das inúmeras coisas que tu AMAVAS de PAIXÃO: as Flores e... SETÚBAL... !!!
Tchau, Linda... !!!


Bichas brigando na rua


As duas bichinhas caipiras estavam se agarrando no meio da rua:
— Sua lazarenta de uma figa! Fia de uma caipora! Vô ti insiná a num olhá pra homem dozotro! — dizia uma.
— Eu vô arrancá seus cabelo, vô quebrá suas unha! Sua egoísta! — dizia a outra.
— Ái... você borrô meu batom, sua vadia!
— E você me arranhô o braço! Olhá só o vergão que ficô! E agora, o que será de mim? Buááá... Como eu sou infeliz...
Aí chega um guarda e interrompe a piada:
— Vamos parar com essa briga aí, senão eu levo as duas em cana!
— Cruzes!
— Credo, que violênça!
— Aposto que é só porque nóis semo bicha!
— Nóis semo não — corrigiu o guarda. — Nós somos!
— Hummm... Menina! Mas, juro que ocê num parece

Você tem sorte ?

Considere ainda que se você acordou hoje mais saudável que doente, você tem mais sorte que um milhão de pessoas que não verão a próxima semana.

Se nunca experimentou o perigo de uma batalha, a solidão de uma prisão, a agonia da tortura, a dor da fome, você tem mais sorte que 500 milhões de habitantes no mundo.



Se você pode ir à igreja sem o medo de ser bombardeado, preso ou torturado, você tem mais sorte que 3 milhares de pessoas no mundo.

Se você tem comida na geladeira, roupa no armário, um teto sobre sua cabeça, um lugar para dormir, considere-se mais rico que 75% dos habitantes deste mundo.

Se tiver dinheiro no banco, na carteira ou um trocado em alguma parte, considere-se entre os 8% das pessoas com a melhor qualidade de vida no mundo.

Se seus pais estão vivos e ainda juntos, considere-se uma pessoa muito rara.

Se puder ler esta mensagem, você recebeu uma dupla bênção, pois alguém pensou em você e você não está entre milhões de pessoas que não sabem ler.

E faz parte de 1% da população que possui computador.

Vale a pena tentar...

Ame como se ninguém nunca o houvesse feito sofrer.

Trabalhe como se não precisasse do dinheiro.

Dance como se ninguém estivesse olhando.

Cante como se ninguém estivesse ouvindo.

Viva como se aqui fosse o paraíso.




Recebido via e-mail do Site: www.diabetenet.com.br