POR UM PORTUGAL DIFERENTE

POR UM PORTUGAL DIFERENTE
ABRIL VIRÁ...!!!

EXPERIMENTE... VÁ ATÉ LÁ!

MUDAR...

Estrela - DestaquesNinguém pode ser escravo de sua identidade; quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar. (Elliot Gould)

Frases e Mensagens -

NÃO HÁ ACORDO...!!!...

NÃO HÁ ACORDO...!!!...
... Português há só UM...!!!

TRADUÇÃO/TRANSLATE/TRADUCION

SEM IMITAÇÕES...

ACREDITE...

"Nunca faça graça de graça. Você é humorista, não político."

A Hora em Poá (BRASIL)

"Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo."

VELHO PROVÉRBIO PORTUGUÊS

"Dois olhos vêem mais do que um só."
Veja Frases para Orkut - Kifrases.com

LOVE, love, LoVe

OvEr ThE RaInBoW

1lindoMENINO ...

Verdade, Verdadinha...!!!

zwani.com myspace graphic comments

1lindomenino

Menininhas e inhos venham a mim...

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "isto"... e MUITO MAIS...!!!

António GEDEÃO


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.GEDEÃO

SEJA ASSIM... COMO EU!

recadosparablogseorkut.com


Mais Um(a)...!!! OBRIGADO...!!!

sábado, 9 de outubro de 2010

Qual é a - sua - música?


Especialistas explicam a relação entre sons, sensações e lembranças



Por Filipe de Paiva


Bons amigos e uma boa canção. Um grande amor, muitos tons. Quem não carrega uma forte referência musical da infância, da adolescência, da juventude, da maturidade, de ontem à noite? A música tem poder sobre os sentimentos. Sendo um fenômeno complexo, ela pode trazer lembranças, marcar momentos importantes da vida e proporcionar bem estar, dizem especialistas. Os acordes, definitivamente, são capazes de derrubar barreiras, aproximar pessoas e dar início a longas amizades e até romances.

A vida tem sons e a música é um fenômeno complexo. “Consideramos como música todo o processo relacionado à organização e à estruturação de unidades sonoras”, dizem o neurologista Mauro Muszkat, e as musicoterapeutas Cleo Correia e Sandra Campos no artigo Música e Neurociências.

A música tem Intensidade do som (volume), altura (se é grave ou agudo), timbre (metal, sopro, madeira, etc), tempo (ritmo e andamento da música, que podem ser lentos, moderados ou rápidos) e a harmonia (o modo como os sons progridem entre si, podendo ser alegres, maiores, ou tristes, menores). E essa soma de fatores pode influenciar diretamente o comportamento de uma pessoa e seu modo de lidar com o próximo e com o ambiente.

Uma maneira de relaxar e escapar do estresse, a música é comumente associada a sensações agradáveis. “A música é uma forma de dispersar tensões de nosso pensamento, além de ser um estímulo considerado positivo, prazeroso na vida humana”, explica o psicólogo Oswaldo Rodrigues.

Desde os primeiros anos de vida, a música rodeia o ser humano e este a associa a diversas emoções. Na adolescência, cada estilo musical já está relacionado a algum sentimento ou lembrança, e isso estabelece o gosto de cada pessoa. “As preferências musicais se estabelecem ao redor dos 15 a 20 anos de idade e cada indivíduo tenta manter inalterado este padrão ao longo da vida. Assim, já constituindo um padrão de prazer, o organismo sempre está à procura daquele estímulo conhecido para alcançar o bem estar”, diz Rodrigues.

Existe uma ponte entre músicas e sensações, e essa ligação se dá através da experiência vivida no meio em que cada um foi criado, da cultura adquirida. “Nós aprendemos quais músicas são associadas a quais sensações de acordo com as normas e padrões culturais do meio em que vivemos, bem como pelas nossas experiências individuais”, esclarece o médico Théo Lerner.

Uma música pode ter força suficiente para despir uma pessoa de suas barreiras emocionais, ampliando, assim, a facilidade para se relacionar com outras pessoas. “A música é sem dúvida uma das formas de expressão humana mais completas. Através dela, a pessoa coloca todas as suas emoções, sensações e percepções em funcionamento”, alega a terapeuta Marilandes Braga.

A partir daí, amizades e até mesmo romances passam a ter sua trilha sonora. Por exemplo, a música que tocou em um primeiro encontro fica marcada na lembrança dos casais e eles comumente vão recorrer a ela para se sentir bem. “Aquela, que a gente pede no restaurante”, brinca o psiquiatra Paulo Zampieri.A nossa música! Vamos dançar?”

O poder da música se deve ao fato dela ser um estímulo sensorial, que afeta, entre outras partes do sistema nervoso, a que é responsável pelo emocional. “O processamento de qualquer estímulo sensorial passa por diversas áreas do cérebro, entre elas o sistema límbico, que é o responsável por nossas emoções”, afirma Lerner.

“Por envolver um armazenamento de signos estruturados, estimula nossa memória não-verbal. Tem acesso direto ao sistema de percepções integradas, ligadas às áreas associativas de confluência cerebral, que unificam as várias sensações, incluindo a gustatória, a olfatória, a visual e a proprioceptiva em um conjunto de percepções que permitem integrar as várias impressões sensoriais em um mesmo instante, como a lembrança de um cheiro ou de imagens após ouvir determinado som ou determinada música”, afirmam os autores de “Música e Neurociências”.

Mais que provocar sensações, a música também induz ao movimento. É possível evitar uma visão apenas fechando os olhos ou virando o rosto, mas é impossível fugir dos sons. “Não se pode fechar os ouvidos e somos muito permeáveis às vibrações energéticas da música, que entram pelo corpo todo, além dos ouvidos. Entram pelo esqueleto, pelo abdome, pelas pernas”, diz Zampieri.

Você tem alguma música preferida, que seja importante na sua vida? Conte para a gente.



Recebido via e-mail do site http://www.maisde50.com.br/

Nota de 1lindomenino: VC tem...?! Conta pra "NÓIS"...?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aquí o seu comentário